Quarta-feira, 22 de Janeiro de 2020
ELEIÇÕES 2018

Eleição no Amazonas deve custar R$ 33,7 milhões aos cofres públicos, diz TRE

Técnicos do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas estão preparando os termos de referência do pleito para fazer todas as contratações necessárias



tre.JPG TRE estuda opções para economizar com técnicos de urna e transmissão. Uma possibilidade é utilizar técnicos de universidades ou fechar cooperação com o Ifam. Foto:Arquivo AC/Clóvis Miranda
22/02/2018 às 15:38

O Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) estima em R$ 33,7 milhões o custo das eleições deste ano no Amazonas, se ocorrerem os dois turnos marcados para os dias 7 e 28 de outubro, na qual estarão em disputa 24 cargos de deputado estadual e oito de federal, duas vagas para o Senado, além do  governo do Estado e a Presidência da República.

Os valores foram repassados ontem pelo diretor geral do TRE-AM, Messias Andrade. Do total, R$ 18,7 milhões correspondem ao orçamento do Tribunal para o pleito e R$ 15 milhões é a verba do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) destinada para o custeio de despesas, por exemplo, equipamentos de transmissão e as Forças Armadas.



“Do orçamento do TRE, R$ 18,7 milhões, 70% do valor já foi repassado para realizar as licitações do primeiro turno. Já colocamos em cima desse valor cerca de 10% considerando a inflação e o índice de reajuste de preços. Por exemplo, o combustível que influencia diretamente na contratação da logística para transporte das urnas e dos técnicos. Já estamos preparando os termos de referência deste pleito para fazer todas as contratações necessárias com base nas eleições dos anos de 2016 e 2017”, afirmou o diretor.

De acordo com Messias, na próxima semana a direção do TRE-AM se reunirá com representantes das Forças Armadas, Polícia Militar e Civil para definir o efetivo que será distribuído em todo o Estado.

“No que diz respeito aos técnicos de urnas e a transmissão, estamos estudando alternativas para ter maior economicidade e aproveitamento desses profissionais. Talvez a Corte utilize técnicos de algumas universidades ou realize um termo de cooperação com o IFAM, realizado na eleição passada. Precisamos ter tempo para resolver  sobre as urnas. Estamos tratando com bastante cuidado”, diz.

Blog: Messias Andrade, diretor-geral do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM)

“No que diz respeito à propaganda eleitoral nosso investimento maior será no combate ao crime virtual. Entendemos que houve uma queda de 80% em 2017, comparando ao pleito de 2016, em relação aos crimes de rua como propaganda eleitoral por meio de cartazes e santinhos. Em 2017, isso praticamente inexistiu. Em contrapartida tivemos o crescimento vertiginoso dos crimes virtuais, principalmente, nas redes sociais”, disse Messias Andrade.

“Na época (eleição passada) não se tinha tanta ênfase nas “fake news” (notícias falsas) e nós já estávamos trabalhando em parceria com o Facebook Brasil para combater a prática. A nossa comissão de propaganda será 80% ou 90% voltada para combater os ilícitos virtuais e é claro sem perder a perspectiva de realizar a fiscalização corpo a corpo na rua. Nos adequamos ao contingenciamento de verbas. Utilizamos a eleição de 2017 como parâmetro e agora estamos tranquilos no que diz respeito à questão orçamentária”, acrescentou.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.