Publicidade
Cotidiano
Notícias

Eleições 2014: Marcelo Ramos afirma que não subirá no palanque de Braga e Melo

Na primeira sessão da ALE-AM após o primeiro turno das eleições, o deputado Marcelo Ramos, terceiro colocado na disputa pelo Governo do Amazonas, admitiu que votará em um dos dois, mas que ainda vai decidir se anuncia ou não o escolhido 08/10/2014 às 09:57
Show 1
Com quase 10,9% dos votos, Marcelo Ramos disse que é pré-candidato em 2016
Luciano falbo ---

Terceiro colocado na disputa pelo Governo do Amazonas, o deputado estadual Marcelo Ramos (PSB) afirmou, nesta terça-feira (7), que não vai subir no palanque de nenhum dos dois candidatos que avançaram para o segundo turno – Eduardo Braga (PMDB) e José Melo (Pros). O parlamentar, porém, admitiu que terá que escolher entre um deles para votar. E que ainda vai decidir se anuncia ou não o escolhido.

“Fazer campanha eu não vou. Uma coisa é fato: eu não estarei em nenhum palanque no segundo turno. Eu não vou gravar programa de TV. Eu não vou para comício. Eu não vou para caminhada. A única coisa que eu decido é se eu vou declarar o meu voto ou não”, afirmou ontem para A CRÍTICA, na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM). “Esses candidatos não representam o que eu penso da política, mas o voto nulo, para mim, não é uma hipótese”, ressaltou.

O parlamentar afirmou que as opiniões do PSB-AM e da Rede Sustentabilidade serão consideradas na sua decisão. “Serei oposição ao próximo governador, quem quer que seja eleito”, afirmou. No plano nacional, Marcelo Ramos disse que vai seguir a orientação de Marina Silva (PSB), que tende a apoiar Aécio Neves (PSDB).

“Falei com ela (Marina) ao telefone, ontem (segunda-feira), e ela se disse muito machucada pelo PT, que a campanha foi muito covarde contra ela. A minha decisão nacional é objetiva: estarei onde a Marina estiver”, afirmou o deputado.

Tendo recebido 10,97% votos do Estado, Marcelo disse que foi o responsável pela eleição ir ao segundo turno. Com votação concentrada na capital, o deputado afirmou que é pré-candidato à Prefeitura de Manaus, em 2016. “É um caminho natural que eu seja candidato a prefeito de Manaus – 17,3% dos manauaras votaram em mim”, afirmou. O pessebista disse que o resultado do pleito, disputando contra o atual governador e contra um senador, indicou que desejam um projeto de mudança encabeçado por ele.

Sem mandato a partir de 2015, Ramos disse que vai voltar à vida de militante. “O principal projeto que tenho é trabalhar o controle das contas públicas através de uma instituição não governamental (ONG). Já estamos trabalhando nisso”, frisou.

O quarto colocado na disputa pelo governo, deputado Chico Preto (PMN), não se manifestou na tribuna da ALE-AM. Para A CRÍTICA, o parlamentar disse que ainda não conversou com Braga ou Melo, mas indicou a tendência de que vai seguir com o peemedebista, ao declarar que sabe “qual o caminho que não quer mais para o Amazonas”. “O Amazonas não merece um governo que faça manipulação política da polícia. O Amazonas não merece práticas como se tentar pagar precatórios com valores inflados. O Amazonas não merece o deboche de um governo que aluga um jato que é de uso exclusivo do governador que vai para ilhas do Caribe, paraísos da jogatina”, disse.

Chico Preto disse que continua no PMN e na presidência do partido. Afirmou que vai se posicionar, mas não deu data. “O partido vai, no momento certo, discutir o caminho que vai tomar”, disse o deputado.

Eleitores agradeceram eleitores

Na sessão desta terça-feira, os parlamentares eleitos para a Câmara dos Deputados agradeceram aos votos. Marcos Rotta (PMDB) disse que seu gabinete em Brasília estará à disposição dos deputados estaduais. Única mulher eleita para a Câmara Federal pelo Amazonas, Conceição Sampaio (PP) disse que vai ter como pautas a luta pela mulher, avanços econômicos e de infraestrutura para o Estado. Entre os que não se reelegeram para a ALE-AM, o único que se pronunciou foi Tony Medeiros (PSL). Não foram reeleitos Fausto Souza (PSD) Vera Castelo Branco (PTB). Francisco Souza (PSC) e Wilson Lisboa (PCdoB) estão com candidatura sub-júdice.

Publicidade
Publicidade