Publicidade
Cotidiano
Notícias

Em 18 dias, PF e polícia peruana apreendem mais de 12 toneladas de drogas em operação

Operação ‘Trapézio’: ações policiais dos países vizinhos foram deflagradas nos rios Solimões e Javari, na Amazônia 29/05/2015 às 21:43
Show 1
Polícias brasileira e peruana queimaram todos os barracos (laboratórios) onde as drogas foram apreendidas
joana queiroz Manaus (AM)

A Polícia Federal, em conjunto coma Polícia Nacional do Peru encerraram  a operação Trapézio realizada nesse mês. O resultado  foram oito laboratórios  de drogas destruídos,  a apreensão de 12,5 toneladas de sulfato de cocaína (cocaína em processamento)  e de 42 quilos de cloridrato de cocaína (brilho) prontos para o consumo, além da prisão de 12 pessoas, destas três são brasileiros, segundo informou, ontem, o coordenador da operação, delegado de Polícia Federal Mauro Spósito.

De acordo com Spósito, a operação teve início no dia 3 de maio e terminou no último dia 20.  O delegado ressaltou que o resultado da operação poderia ter sido melhor, mas a enchente dos rios Solimões e Javari  deixou as áreas alagadas e impediu o acesso da polícia aos locais onde estão os plantios de coca e os laboratórios de refino de drogas. “O resultado não foi o esperado, mas nós já estamos planejando  outra que será realizada quando as águas baixarem”, disse o delegado.

O coordenador da operação Trapézio informou que a ação policial tem como objetivo desarticular a produção de drogas no Peru,  que avançou nos últimos anos, tornando aquele país como um dos maiores produtores de cocaína da America Latina, e reprimir em 80% a entrada de drogas no Amazonas pela tríplice fronteira – Brasil, Peru e Colômbia. Um dos alvos da Polícia Federal é zerar, até o final do ano, a passagem de droga pelos rios do Amazonas, conhecidos como corredor do tráfico.

Spósito informou que a destruição dos laboratórios de produção da cocaína aconteceram  em território peruano,  alguns próximos à margem do rio Javari, a poucos metros do território brasileiro. “Nos últimos anos, temos observado que começou a crescer uma zona cocaleira na área do rio Javari”, explica o coordenador. 


De acordo com o delegado, o avanço do narcotráfico na fronteira do Amazonas com a Colômbia e o Peru vem ganhando dimensões preocupantes e tem levando as autoridades, principalmente as da área de segurança pública, a discutirem soluções para conter o avanço do tráfico na região, assim como sua “rede de consequências”, que vão de crimes de homicídio, roubo e sequestro a evasão de divisas e ainda lavagem de dinheiro.

Parceria Brasil x Peru

O coordenador da operação Trapézio, delegado da Polícia Federal Mauro Spósito explicou que para a realização da operação, a Polícia Federal entra com o apoio logístico e homens para a missão, além do serviços de inteligência que, em conjunto com o efetivo  da Polícia Nacional do Peru  identifica laboratórios e plantações de coca  no meio da selva peruana.

A operação durou 18 dias e o resultado não saiu como o esperado devido a cheia dos rios Solimões e Javari que alagou algumas áreas, impedindo o acesso da polícia em determinadas áreas.

Publicidade
Publicidade