Publicidade
Cotidiano
Notícias

Em 2011, PIB do Amazonas teve fraco desempenho regional

Nesse período, o Amazonas atingiu R$ 64,5 bilhões, o que representou 1,6% de participação do PIB nacional, conforme o IBGE 22/11/2013 às 18:50
Show 1
Segundo o IBGE, o fraco desempenho é devido em algumas atividades importantes como a indústria, a agricultura e a construção
ACRITICA.COM* Manaus (AM)

O PIB per capita do Amazonas, que é a divisão do valor do PIB pelo número da população, em 2011, alcançou R$ 18.244,30, número que a nível nacional foi a décima segunda melhor colocada. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (22). Pelo Brasil, cinco estados concentraram 65,2% do PIB em 2011.

Em 2011 o Produto Interno Bruto do Amazonas atingiu R$ 64,5 bilhões, o que representou 1,6% de participação nacional de acordo com as Contas Regionais do IBGE. Em comparação aos desempenhos de outros estados das regiões Norte e Nordeste em 2011, o Amazonas teve a maior renda PIB per capita.

De 2010 para 2011, o crescimento do Produto Interno Bruto do Estado, a preços de mercado corrente, foi de 7,9%, abaixo da média nacional de 9,8%. Ainda sobre crescimento entre 2010 e 2011, o Amazonas teve somente o quarto melhor desempenho da região Norte. Ficando atrás de Rondônia (18,1%), Pará (13,5)% e Roraima 9,6%.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o fraco desempenho é devido em algumas atividades importantes como a agricultura, a indústria e a construção.

A industria de transformação continuou sendo a atividade econômica mais importante do Amazonas e representou 30,5% de todo valor adicionado bruto (valor que a atividade agrega aos bens e serviços consumidos no seu processo produtivo). A segunda posição foi ocupada pela administração, saúde e educação pública (17,7%). O comércio foi a terceira força econômica do Estado com 10,6%.

O PIB amazonense vem variando nos últimos anos entre a 14ª e a 15ª posição no ranking nacional. O que coloca o Amazonas em posição intermediária entre as unidades da federação do País. Em 2011, o Estado ocupou a 15ª posição, continuando como a segunda força econômica da Região Norte, atrás apenas do Pará que ocupou a 12ª posição com PIB de 88,3 bilhões de reais.

IBGE

O PIB do Amazonas é um trabalho desenvolvido pelo IBGE em conjunto com a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) e o Governo do Amazonas através da Secretaria Estadual de Planejamento (Seplan). Neste contexto, o trabalho de estimativa do Produto Interno Bruto e do PIB per capita das unidades da federação, realizado pelo IBGE, possui amparo constitucional, mas, exclusivamente neste projeto, é realizado em parceria com as equipes dos governos estaduais.

Contas regionais

Cinco estados concentram 65,2% do PIB em 2011. O grupo formado por São Paulo (32,6%), Rio de Janeiro (11,2%), Minas Gerais (9,3%), Rio Grande do Sul (6,4%) e Paraná (5,8%) concentrava 65,2% do PIB em 2011, 2,8 ponto percentual (p.p.) a menos que em 2002 (68,0%). Já os dez estados com menores participações somaram 5,3%, enquanto os outros 12 estados passaram de 27,1% para 29,5% de participação no PIB nesse período, o maior crescimento entre os três grupos.

Embora a Região Sudeste tenha mantido sua participação de 55,4% no PIB brasileiro na comparação entre 2010 e 2011, houve uma redistribuição da participação entre os quatro estados da região. São Paulo, que permanece em primeiro lugar no ranking, perdeu cerca de 0,5 ponto percentual ao passar de 33,1% para 32,6% no período, registrando a menor participação na série iniciada em 2002. Com isso, Rio de Janeiro ganhou 0,4 p.p. (de 10,8% para 11,2%) e Espírito Santo, 0,2 p.p. (de 2,2% para 2,4%). Minas Gerais se manteve com 9,3%.

Norte e Centro-Oeste

As regiões Norte (de 5,3% para 5,4%) e Centro-Oeste (de 9,3% para 9,6%) cresceram, enquanto Sul (de 16,5% para 16,2%) e Nordeste (de 13,5% para 13,4%) diminuíram suas participações no PIB brasileiro em 2011. Já na série histórica com comparações ao ano de 2002, Centro-Oeste avançou 0,8 p.p. no período, Norte, 0,7 p.p. e Nordeste, 0,4 p.p.

Estas e outras informações são mostradas pela pesquisa “Contas Regionais do Brasil de 2011”, que este ano divulga resultados provisórios, cuja atualização será feita de acordo com a revisão do Sistema de Contas Nacionais.

Para os resultados de 2011, o ajuste das contas regionais às contas nacionais ocorreu com a agregação das informações das contas trimestrais brasileiras, que divulgam o PIB trimestral em 12 atividades apenas, contra 56 das contas nacionais definitivas.

Até 2015, o IBGE divulgará a série do Sistema de Contas Nacionais do Brasil referente ao ano de 2010 (atualmente, o ano de referência é 2000), com os resultados detalhados para 2010, 2011 e 2012, além da revisão dos resultados do período 1995-2009.

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade