Domingo, 20 de Junho de 2021
RECURSOS

Em Brasília (DF), prefeito Arthur Neto cobra da presidência a liberação de recursos

Durante a manhã, operações de crédito externo no total de US$ 473,7 milhões (R$ 1,7 bilhão) foram aprovadas pela Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE) e agora seguirão para o Plenário e depois liberados às cidades contempladas



703ccf41-d828-4978-a05a-0e31b958030c.jpg Durante a reunião que avalizou empréstimos para outras capitais e governos, o senador Omar Aziz disse que o fato de outras cidades serem contempladas, com exceção de Manaus, denota falta de vontade do governo para com o Amazonas (Foto:
12/04/2016 às 16:55

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, esteve em Brasília nesta terça-feira (12) para questionar o motivo pelo qual o governo federal ainda não deu aval para que o empréstimo de US$ 150 milhões, aprovados pelo Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento (Bird) ao Executivo Municipal, seja encaminhado ao Senado.

Durante a manhã, operações de crédito externo no total de US$ 473,7 milhões (R$ 1,7 bilhão) foram aprovadas pela Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE) e agora seguirão para o Plenário e depois liberados às cidades contempladas.



O valor pleiteado por Manaus será aplicado nas áreas de infraestrutura, educação, sistema de gestão, inclusão social e geração de renda - mobilidade urbana e o sistema de transporte coletivo são os assuntos mais urgentes. De acordo com o prefeito, a formalidade caminha desde 2014 e todos os trâmites já foram vencidos, bastando, agora, a assinatura da presidente Dilma Rousseff e aprovação do Senado.

"É de se estranhar que a presidente tenha assinado e enviado à CAE o empréstimo de outras cidades, mas não tenha feito o mesmo com Manaus, que também estava na mesa dela junto com os demais pedidos. Em um momento de crise, como o que passamos, estes recursos são de fundamental importância para o desenvolvimento de Manaus. O próprio Bird elogia o nosso projeto, mas para que tenhamos acesso, o governo federal tem que fazer a parte dele", afirmou o prefeito.

Durante a reunião que avalizou empréstimos para outras capitais e governos, o senador Omar Aziz disse que o fato de outras cidades serem contempladas, com exceção de Manaus, denota falta de vontade do governo para com o Amazonas. Ele citou que a presidente tem a obrigação de ajudar o Estado em um momento tão penoso economicamente.

"O Distrito Industrial já demitiu 30% de seus trabalhadores. Por que não liberam o empréstimo de Manaus? Isso soa como discriminação. Será que o motivo é o fato de o prefeito Arthur Neto ter sido um dos grandes críticos deste governo quando estava no Senado? Merecemos uma explicação plausível e que mostre a verdade", afirmou o senador.

A presidente da CAE, Gleisi Hoffmann, disse que não sabe os detalhes e nem o motivo pelo qual Manaus não foi contemplada desta vez. Porém, prometeu que fará o possível para resolver a questão e levar o pedido à comissão na semana que vem.

Os empréstimos vêm do exterior, mas para que Manaus possa receber os recursos, o governo federal precisa autorizar a linha de crédito. "Estamos ouvindo promessas há tempos. Hoje ouvimos de novo. Vamos ver o que vão falar na semana que vem", finalizou Arthur Neto.

Valores no CAE

- Piauí - US$ 120 milhões - BIRD;

- Ceará - € 57.638.500,00 - MLW Internet Handels;

- Prefeitura de Teresina - US$ 88 milhões - BIRD;

- Governo do Paraná - Aval para a reabertura do prazo;

- Manaus - US$ 150 milhões - BIRD (pendente).

*Com informações da assessoria de imprensa


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.