Publicidade
Cotidiano
Notícias

Em discurso na CMM nesta segunda (15), Artur Neto defende José Melo e critica 'rancorosos'

O prefeito de Manaus apontou que os responsáveis pela campanha contra o governador José Melo agiram com rancor, "um péssimo conselheiro", segundo o tucano. Artur declarou, ainda, que não acredita que adversários obterão vantagem política com ataques desta natureza 15/02/2016 às 12:48
Show 1
O prefeito tocou em vários assuntos, tais como a função da casa legislativa, a postura de políticos rivais e a manifestação que ocorria do lado de fora
Janaína Andrade e Lucas Jardim Manaus (AM)

"Sou um homem feliz porque entrei tranquilamente e ninguém jogou dinheiro falso em cima de mim", disse o prefeito Artur Neto na abertura de seu discurso na Câmara Municipal de Manaus (CMM) nesta segunda-feira (15). Artur, que estava no local dando início aos trabalhos legislativos em 2016 com a leitura de sua mensagem anual, aproveitou a ocasião para defender o governador José Melo do protesto ocorrido na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM) no último dia 1º de fevereiro.

"Eu sou a favor de muita disciplina e eu próprio procuro me disciplinar bastante. Jamais passou pela minha cabeça que algum funcionário meu fosse agredir o governador do Estado ou quem quer que fosse", disse, sendo logo ovacionado pelos presentes, com fortes aplausos.

Ele se remeteu à função deliberativa das casas legislativas, a qual ele não julga condizente com a natureza do protesto contra Melo. "O papel da tribuna é denunciar o que ela acha que está errado, é disputar politicamente e com qualidade as suas ideias, tentando impo-las pelo consenso e pelo convencimento. Os outros métodos não são métodos que levem ninguém a lugar nenhum", enfatizou.


'Rancorosos'

O prefeito ainda apontou que os responsáveis pela campanha contra Melo agiram com rancor. "O rancor é um péssimo conselheiro, porque ele envenena o rancoroso", disse.

Artur declarou que não acredita que eles obterão vantagem política com os recentes acontecimentos. "Vamos falar daquilo que os rancorosos gostam: votos. Não conheço um rancoroso que tenha voto de verdade neste Estado. Todo rancoroso patina, patina, patina e pouco sai do lugar ou não sai do lugar ou regride", concluiu.


Manifestação

Ainda na manhã desta segunda-feira, líderes do movimento grevista dos guardas municipais protestaram em frente a CMM, reivindicando, entre outras coisas, o direito de portar arma de fogo.

Artur, que considerou o ato uma afronta e uma "quebra de hierarquia", prometeu sanções severas. "[É] óbvio que eu vou daqui para o meu gabinete estudar medidas muito duras, com a possibilidade inclusive de demissão imediata", afirmou.

Publicidade
Publicidade