Publicidade
Cotidiano
Notícias

Em Manacapuru (AM), protesto de mototaxistas acaba em violência e com Prefeito ferido

Cerca de mil profissionais clandestinos cobram da Prefeitura e de órgãos do município e Estado mais incetivos para se profissionalizarem. Casa do prefeito Josiel Nunes de Alencar chegou a ser invadida por manifestantes e polícia teve que ser acionada para conter tumulto 05/03/2015 às 16:53
Show 1
Motociclistas invadem a casa do prefeito de Manacapuru (AM)
Saadya Jezine Manaus (AM)

ASSISTA AO VÍDEO / CONFIRA IMAGENS

Na manhã desta quinta-feira (5), em Manacapuru (município da Região Metropolitana de Manaus), um grupo de mototaxistas irregulares que reivindica a legalização da profissão ou outras formas de trabalho se manifestaram contra o Prefeito e a fiscalização feita pelo Instituto Municipal de Trânsito de Manacapuru (Imtrans)  em uma das principais vias da cidade, que virou ponto de conflito.

A revolta começou por volta das 10h30, quando um grupo se concentrou na frente de uma blitz com o intuito de furarem a barreira realizada pelo órgão. Após a tentativa, os manifestantes se encaminharam até a residência do prefeito do município Josiel Nunes de Alencar, onde atiraram pedras e conseguiram invadir o local, após derrubarem o portão eletrônico do imóvel.

A polícia foi acionada e, após aproximadamente uma hora de conflito entre mototaxistas irregulares e legalizados, funcionários da Prefeitura, policiais e Imtrans, a situação foi amenizada. O Prefeito sofreu ferimentos na mão por um manifestante, que ainda não foi identificado.


Segundo Franz Melendez, que passava pelo local na momento da confusão, os mototaxistas clandestinos, que são aproximadamente 1 mil no município, reivindicam a falta de incentivo à legalização destes profissionais.

Segundo ele, alguns já realizaram o curso do Departamento de Trânsito do Amazonas (Detran-AM) mas não receberam a certificação para começar a atuar como profissional legalizado. O número de profissionais cadastrados e aptos a trabalharem com o transporte somam cerca de 300.

Outro motivo abordado por eles para justificar a manifestação é a falta de trabalho legal remunerado em Manacapuru. Alguns necessitam trabalhar como mototaxistas irregulares porque em Manacapuru há ausência de vagas de emprego. 

Publicidade
Publicidade