Sábado, 20 de Julho de 2019
Notícias

Em Manaus, casa sofre com obras no Estádio da Colina

O imóvel que abriga seis pessoas foi inundado por lama e começou a apresentar rachaduras no chão. Segundo o coordenador da UGP, a residência será desapropriada e os donos indenizados



1.jpg Casa de três andares fica 'colada' ao estádio da Colina
24/03/2014 às 18:17

Uma casa do bairro São Raimundo, na Zona Sul de Manaus, localizada na Rua Gerônimo Ribeiro, ao lado do estádio da Colina, apresentou rachaduras no chão, por conta das obras de reconstrução realizadas na área, segundo os moradores do local.

De acordo com o dono do imóvel, Franco Nascimento, no último domingo (21) quando uma forte chuva atingiu a cidade, a casa foi inundada por lama provinda do canteiro de obras.

“Se não bastasse a sujeira, desde segunda-feira (22) começaram a aparecer rachaduras no chão da casa que possui três andares. Estou muito preocupado”, lamentou Franco.

Seis pessoas moram no imóvel, construído há 20 anos. Além de moradia, o local também serve como ponto comercial de Franco, que é dono de uma empresa de design gráfico.


Além disso, o proprietário afirma que pela proximidade com a obra, é possível sentir a vibração das máquinas demolidoras. “Treme tudo aqui em casa. Desde que eles começaram a demolir as arquibancadas. Me sinto muito inseguro com essa situação”, diz Franco.

Desapropriação

Segundo o coordenador da Unidade Gestora do Projeto da Copa (UGP), Miguel Capobiango, os engenheiros responsáveis pela obra já estão a par da situação.

“Nesta manhã os engenheiros visitaram o local e verificaram que a casa foi construída em cima de uma drenagem pública. Após nós constatarmos a inundação este cano que passa debaixo do chão da casa foi desativado e transferido para outro ao lado. A água da chuva correu com maior intensidade por que o que havia em cima de parte dela foi demolida”, comentou.

Outro problema apontado por Capobiango é a da proximidade da casa com o local das obras. “A casa fica bem ao lado, é natural que eles sintam a vibração das máquinas trabalhando. Além disso, o terreno onde eles se encontram é muito ruim o que propicia a propagação dessas vibrações. A demolição de parte da arquibancada iniciada na segunda-feira (22) foi suspensa justamente por causa disso”.


A Superintendência Estadual de Habitação (Suhab) já foi contatada sobre a necessidade de demolição da casa, e de acordo com Capobiango, dentro de uma semana o órgão deve emitir o laudo de desapropriação e indenização.

“Nós não queremos que ocorra qualquer acidente. A empresa responsável está disposta a pagar um aluguel em outro local para a família enquanto as obras continuam e a Suhab trabalha para realizar o laudo, para que não haja nenhum transtorno à eles”, finalizou

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.