Publicidade
Cotidiano
BRASIL

Em pronunciamento, Michel Temer diz que não renunciará ao cargo de presidente

O peemedebista relatou que a revelação da conversa gravada, segundo ele clandestinamente, trouxe de volta o fantasma da crise política 18/05/2017 às 15:21 - Atualizado em 18/05/2017 às 16:10
Show temer 44444
Foto: Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

Em pronunciamento oficial na tarde desta quinta-feira (18), Michel Temer disse que não renunciará ao cargo de presidente do Brasil. O peemedebista relatou que a revelação da conversa gravada, segundo ele clandestinamente, trouxe de volta o fantasma da crise política.

“O imenso esforço de tirar o país da sua maior recessão pode ter sido inútil. Não comprei o silêncio de ninguém. Quero registrar aqui que não renunciarei”, declarou Temer.

O pronunciamento ocorre um dia após a divulgação que ele foi gravado pelos empresários Joesley e Wesley Batista, proprietários da empresa JBS, dando aval para o pagamento de propina que pagaria o “silêncio” do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha.

A revelação foi feita em matéria do jornalista Lauro Jardim, publicada em primeira mão pelo jornal O Globo.  O material relatado consta no acordo de delação premiada que os empresários, donos da maior produtora de proteína animal do planeta, fecharam com a Procuradoria-Geral da República.

Vários jornais e portais já tinham noticiado hoje que Temer estava sendo pressionado por partidos da oposição e da base aliada para renunciar ao cargo.

Ainda no começo da tarde de hoje, o jornal O Globo divulgou as primeiras imagens que provam a entrega de propina aos indicados de Temer e do senador Aécio Neves (PSDB). Nelas, o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), por determinação do então presidente é destacado para tratar com Joesley Batista dos interesses de seu grupo empresarial, a JBS, e é flagrado pegando R$ 500 mil em propina.

Publicidade
Publicidade