Publicidade
Cotidiano
Notícias

Em pronunciamento na TV, presidente Dilma Rousseff pede paciência e compreensão

Presidente defendeu ajustes econômicos do governo e também anunciou que sancionará Lei do Feminicídio nesta segunda-feira (9) 08/03/2015 às 21:34
Show 1
Pronunciamento em cadeia nacional de rádio e televisão durou 15 minutos
ACRITICA.COM* ---

Durante seu pronunciamento em rede nacional na noite deste domingo (8), a presidente Dilma Rousseff (PT) defendeu o ajuste fiscal que o governo tem adotado desde o início do ano. Disse que as medidas são "sacrifícios temporários" e que são suportáveis. Ela culpou a crise financeira internacional e a seca pela atual situação do País.

Dilma Rousseff aproveitou o discurso para justificar as medidas que vêm sendo adotadas e tentar transmitir otimismo em meio a um quadro de inflação cada vez mais alta, atividade econômica cada vez mais fraca, piora no mercado de trabalho e turbulência política com a base aliada no Congresso Nacional.

O tradicional discurso presidencial  do Dia das Mulheres foi ao ar uma semana antes de protestos marcados nas redes sociais pelo Impeachment de Dilma.

Dilma Rousseff disse que o governo está usando “armas diferentes e mais duras” e que o governo absorveu a carga negativa do cenário até onde pôde.  Em uma crítica indireta  a alguns veículos de comunicação, a presidente disse que "os noticiários são úteis mas nem sempre suficientes". "Muitas vezes até nos confundem mais do que nos esclarecem", disse.

"Este processo (de ajuste fiscal) vai durar o tempo que for necessário para reequilibrar a nossa economia”,  afirmou, ao estimar que os primeiros resultados serão sentidos “já no final do segundo semestre”. Ele disse contar o com apoio do Congresso Nacional nesse sentido, o qual disse que sempre cumpriu seu papel quando o País precisou.

A presidente disse que "o Brasil passa por um momento diferente do que vivemos nos últimos anos". "Mas nem de longe está vivendo uma crise nas dimensões que dizem alguns", afirmou.

“Passamos por problemas conjunturais, mas nossos fundamentos continuam sólidos", defendeu. "Nosso povo está protegido naquilo que é mais importante: sua capacidade de produzir, ganhar sua renda e de proteger sua família”, completou.

Dilma afirmou que as pessoas têm “todo o direito de se irritar” e pediu “paciência e compreensão”, por se tratar, segundo ela, de uma situação passageira. No fim do pronunciamento, anunciou que sancionará a Lei do Feminicídio nesta segunda-feira (9).

Frases:

"Mais importante, no entanto, do que a duração dessas medidas será a longa duração dos seus resultados e dos seus benefícios. Que devem ser perenes no combate à inflação e na garantia do emprego”

“Absorvemos a carga negativa até onde podíamos e agora temos que dividir parte deste esforço com todos os setores da sociedade. É por isso que estamos fazendo correções e ajustes na economia”

“O Brasil tem todas as condições de vencer estes problemas temporários e esta vitória será ainda mais rápida se todos nós nos unirmos neste enfrentamento”

“Se toda vez que enfrentarmos uma dificuldade pensarmos que o mundo está acabando, ou que precisamos começar tudo do zero, só faremos aumentar nossos problemas”

“Você tem todo direito de se irritar e de se preocupar. Mas lhe peço paciência e compreensão porque esta situação é passageira. O Brasil tem todas as condições de vencer estes problemas temporários - e esta vitória será ainda mais rápida se todos nós nos unirmos neste enfrentamento”

"Com coragem e até sofrimento, o Brasil tem aprendido a praticar a justiça social em favor dos mais pobres, como também aplicar duramente a mão da justiça contra os corruptos. É isso, por exemplo, que vem acontecendo na apuração ampla, livre e rigorosa nos episódios lamentáveis contra a Petrobras”

“Nossas rodovias e ferrovias, nossos portos e aeroportos continuarão sendo melhorados e ampliados. Para isso, vamos fazer, ainda este ano, novas concessões e firmar novas parcerias com o setor privado”

*Com informações da Agência Brasil (Andreia Verdélio) e Reuters (Alexandre Caverni)

Publicidade
Publicidade