Publicidade
Cotidiano
Notícias

Empresas precisam investir na humanização e apostar no relacionamento com público

Conforme explica a professora de marketing, estratégia e tendências mercadológicas, Erica Bamberg, o marketing possui um peso importante em qualquer organização, seja ela de grande ou pequeno porte 31/01/2016 às 15:33
Show 1
Para Bamberg, o cliente, valoriza a maneira como a empresa se relaciona com ele
oswaldo neto ---

O marketing é uma das principais armas de empresas que almejam se consolidar no mercado, principalmente em um ano difícil para a economia. No entanto, com o desenvolvimento da comunicação, especialistas da área afirmam que novas estratégias, como a humanização de marcas, por exemplo, devem ser observadas a fim de fidelizar antigos e novos clientes.

Conforme explica a professora de marketing, estratégia e tendências mercadológicas da Fundação Dom Cabral, Erica Bamberg, o marketing possui um peso importante em qualquer organização, seja ela de grande ou pequeno porte.

Ela argumenta que a valorização do marketing está totalmente ligada ao apreço pelo cliente, que adquiriu novas tendências. “A geração de conteúdo deverá estar disponibilizada em diversos canais, com uma linguagem apropriada para cada um deles.  Outra tendência é a necessidade de humanização das empresas. As empresas estão começando a compreender que no mercado e seus clientes querem se relacionar com outros humanos, e não com uma linguagem empresarial, abrangente e impessoal”, destacou Bamberg.

Um exemplo disso pode ser observado nas redes sociais. Em uma publicação na sua fanpage, a rede de cosméticos Natura questiona os seus seguidores: “Do que você sente saudade hoje?”, levando o cliente a conhecer uma coleção de maquiagens.

“Os clientes não querem se relacionar com produtos e sim, se envolver em diversos momentos que a empresa esteja presente. Os clientes não contam mais suas experiências que tiveram com produtos e sim, a maneira que a empresa se relaciona com ele”, defendeu ela.

Menos investimentos

Embora o marketing seja considerado base de sustentação de qualquer empresa, os investimentos nesse setor tem diminuído por conta da crise econômica. Segundo Erica Bamberg, muitas organizações têm avaliado antigas apostas repensando se as rotinas empregadas nos anos estão, de fato, traduzindo em resultados tangíveis.

“Vejo que estamos mais atentos a iniciativas que gerem valor para o cliente e traduzam em vendas ou abertura de novas oportunidades de novos clientes. Se a ação não consegue ter uma meta ou indicador, ela será colocada em segundo plano”, frizou Bamberg.

Ela completa que espera para o futuro um marketing mais “preocupado”. “Gerar uma experiências que encantem o cliente, com cuidado e atenção. Não precisa de muitos investimentos para isso, e sim, de se colocar constantemente no lugar do cliente, pensando se ele iria gostar ou não da proposta colocada pela empresa”.

Coca-Cola: experiência de campanha

Considerada por estudiosos uma das empresas mais competentes na área do marketing, a Coca-Cola lançou na semana passada um projeto de divulgação que une todos os produtos fabricados atualmente – Coca-Cola, Coca Cola Light, Coca-Cola Diet, Coca-Cola Life e Coca-Cola Zero.

A estratégia, intitulada “Sinta o Sabor”, traz por meio de comerciais de TV, imagens de campanha, novo sistema de identidade visual, assinatura de áudio e canções-hino o que pretende ser uma campanha global.

Para Erica Bamberg, a estratégia mostra a importância de mostrar a variedade de produtos em um único sentido.

“A Coca-cola sempre foi inovadora em suas ações de marketing inspirando todas as demais empresas. Como comentei, as empresas precisam criar experiências sobre as suas propostas de valor”.

Publicidade
Publicidade