Publicidade
Cotidiano
Notícias

Enem ocorre sem transtornos no Amazonas

Apesar das filas de ‘precavidos’ e dos candidatos que se atrasaram e perderam a prova, o Exame Nacional do Ensino Médio ocorreu sem transtornos no AM 28/10/2013 às 08:35
Show 1
Após eliminações de candidatos por atrasos no sábado, muita gente optou por chegar mais cedo e esperar na fila, de domingo (27)
Adan garantizado ---

Os dois dias de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ocorreram sem grandes transtornos no Amazonas. Os 155.438 candidatos inscritos no Estado aguardam pelos gabaritos oficiais da avaliação, que devem ser divulgados pelo Ministério da Educação (MEC) até esta quarta-feira (30).

No sábado (26), o movimento nas imediações dos locais de prova foi mais intenso. Atentos às duas horas de diferença em relação ao horário de Brasília, alguns candidatos chegaram com bastante antecedência. Em alguns pontos da cidade, como o Colégio da Polícia Militar, em Petrópolis, Zona Sul, havia filas na entrada, antes mesmo de os portões serem abertos.

O trânsito, principalmente no Centro da cidade, ficou complicado após as 10h e quem deixou para sair de casa na “última hora” acabou perdendo o exame. O estudante Paulo Rodrigo, 23, saiu de sua residência, no bairro Morro da Liberdade, às 10h15, mas não conseguiu chegar a tempo e encontrou os portões do Colégio Amazonense Dom Pedro II, no Centro, fechados. “O trânsito está muito ruim aqui perto e os ônibus estão demorando muito. Infelizmente cheguei um minuto após o portão ser fechado. Ano que vem tento novamente”, contou Paulo, que ainda não havia escolhido em que área desejava buscar uma vaga.

Tranquilidade

No domingo (27), o movimento foi bem mais tranquilo nas imediações dos locais de prova. Até mesmo a “correria” que aconteceu no sábado, minutos antes de os portões serem fechados, quase não foi vista ontem.

Com um exame uma hora mais longo por conta da redação, muita gente aproveitou para “reforçar” o almoço. Na porta da Unidade 4 da Uninorte, na rua Huascar de Figueiredo, no Centro, a candidata Cristiane Almeida, 20, optou por um prato com carne na chapa, arroz e farofa (comercializado por R$ 5 por ambulantes). “No sábado eu senti muita dor de cabeça durante a prova. Até levei algumas coisas para comer na sala, mas o barulho atrapalha muito. É bem melhor comer aqui fora”, contou a jovem, que pretende cursar medicina veterinária.

Apesar disso, mais gente perdeu a prova no domingo (27). A candidata Daiane Gomes, 21, chegou ao Instituto de Educação do Amazonas (IEA) às 11h04, e não conseguiu entrar. A decepção era evidente no rosto dela “Eu saí 10h de casa, mas o ônibus que peguei (linha 608) pregou no caminho. Isto causou o meu atraso. O pior é que sou sabatista e só fiz as provas do sábado à noite. Saí daqui cansada. Ver que todo o esforço foi em vão é muito ruim”, relatou Daiane, que mora em Petrópolis.

Eliminados por postar fotografias

O Ministério da Educação anunciou a eliminação de 36 candidatos no Brasil, nos dois dias de Enem. Eles contrariaram a recomendação do MEC e postaram fotos das provas e dos cartões respostas em redes sociais como o Instagram e o Facebook. Algumas fotos foram colocadas na internet minutos antes do início da prova. Pelas regras do Enem, não é permitido o uso de eletrônicos no local de prova e nem publicar fotos do exame.

Alguns usuários chegaram inclusive a provocar o MEC nas publicações virtuais. “Quero ver alguém me eliminar haha #enem #boasortepramim”, desafiou um perfil da rede social que publicou uma foto com supostos cartão de resposta e folha de rascunho.

As abstenções atingiram 29% dos mais de 7,1 milhões de candidatos inscritos no Enem. Segundo o ministro Aluízio Mercadante, 5,05 milhões de candidatos fizeram o exame. Os dados são do segundo dia de prova e ainda podem ser revistos. O resultado final da prova será divulgado na primeira semana de janeiro.

Publicidade
Publicidade