Publicidade
Cotidiano
Notícias

Engenharias e administração demandam bons profissionais em Manaus, diz ABRH-AM

Segundo a presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos as empresas estão cuidadosas com o setor financeiro e há carência de especialistas nestas áreas voltadas para o controle financeiro 13/02/2016 às 17:00
Show 1
O Amazonas carece de profissionais que dominem um 2º ou 3º idioma, diz Kátia
Fabíola Abess ---

A elevada taxa de desemprego, economia em baixa e o cenário político instável, apesar de comporem uma condição desfavorável para o mercado de trabalho são fatores que trouxeram oportunidade para outros segmentos, como as engenharias e as áreas especializadas em administração financeira.

Segundo a presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos – Seccional Amazonas (ABRH-AM), Kátia Andrade, que tomará posse com a diretoria da gestão 2016-2018, as empresas estão cuidadosas com o setor financeiro e há carência de especialistas nestas áreas voltadas para o controle financeiro, entre estas a contabilidade, controladoria e demais engenharias ligadas à produção.

“As empresas estão mais atenciosas com o financeiro, e para incrementar a redução de custos, essas profissões ligadas ao controle financeiro são as mais requisitadas neste momento e ainda são escassas”, explica.

Mais qualificação

Em comparação com a média nacional, os recursos humanos no Amazonas enfrentam a falta de profissionais que dominem um segundo ou terceiro idioma e a baixa qualificação nas áreas que requerem o ensino de exatas, resultado da deficiência da educação básica, observa a presidente Kátia Andrade.

A nova gestão da ABRH promete apresentar propostas que contribuam para elevar qualificação profissional e atuar em parceria com as empresas com a finalidade de mudar a estratégia, atuando na formação e capacitação profissional.

Outro destaque profissional é a área de bionegócio, que consiste em uma nova matriz econômica que precisa de mão de obra preparada para suprir a deficiência por profissionais qualificados em médio prazo. “Na realidade, tem muita pesquisa básica realizada nas universidades, mas a inovação só acontece nas empresas que transformam a pesquisa em produto”, destaca Andrade.

Desafios

O desafio da nova diretoria da associação  será fortalecer a ABRH Amazonas como uma entidade que pode ajudar na análise de novos conceitos, conteúdos e cenários de uma forma mais abrangente, profunda e estratégica, interagindo, influenciando e atuando na formação e capacitação profissional, com alinhamento ao mercado atual e agindo proativamente na formação de profissionais para atender a demandas futuras das transformações das matrizes econômicas e dos modelos organizacionais”, analisa a presidente.

A ABRH-AM tem incluído em sua pauta de discussões desde o ano passado em reuniões com o Fórum de Presidentes e de Líderes o cenário de crise no Amazonas e a busca do desenvolvimento de novas alternativas ao polo industrial, setor que foi afetado pela alta do dólar, devido à dependência de insumos importados.

Kátia Andrade

Currículo

Doutoranda em Gestão da Inovação em Biotecnologia, Mestre em Engenharia da Produção e Especialista em Adm. de Recursos Humanos pela Ufam. Contadora e Consultora Organizacional nas áreas de Gestão de Negócios, Planejamento Estratégico e Recursos Humanos. Experiência em processos administrativos e RH em empresas nacionais e multinacionais.

Publicidade
Publicidade