Publicidade
Cotidiano
crise

Entidades fazem manifesto contra a extinção do Programa Mais Médicos no Brasil

“Com a extinção desse programa, a saúde no Amazonas será fortemente prejudicada, pois um número significativo de médicos seriam tirados do interior do Estado, piorando o atendimento naquelas localidades”, afirmou a presidência da Associação Amazonense dos Municípios (AAM) 30/06/2016 às 17:12
Show maismed
O então ministro da Saúde, Alexandre Padilha, participando da aula inaugural de avaliação dos profissionais cubanos para uma das etapas do Programa Mais Médicos (foto: Arquivo AC)
ACRITICA.COM* Manaus (AM)

O Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Amazonas (COSEMS/AM) elaborou, em parceria com a Associação Amazonense dos Municípios (AAM), um manifesto contra a extinção do “Programa Mais Médicos para o Brasil” (PMMB), executado pelo Governo Federal. O documento será entregue nos próximos dias ao Ministério da Saúde. Quando foi criando, em 2013, o programa previa a dispensa de revalidação do diploma somente nos três primeiros anos de atuação dos médicos estrangeiros que atuassem nas cidades brasileiras.

“Com a extinção desse programa, a saúde no Amazonas será fortemente prejudicada, pois um número significativo de médicos seriam tirados do interior do Estado, piorando o atendimento naquelas localidades”, afirmou o presidente da AAM, João Campelo. Atualmente, o Amazonas conta de mais de 500 médicos do programa, distribuídos em 61 municípios.

Campelo destaca, ainda, as peculiaridades regionais como dificuldade no atendimento à saúde da população do interior do Estado. “Aqui ainda temos que enfrentar as longas distâncias, dificuldades de acesso e pouca densidade demográfica. Todos esses fatores contribuem para a precariedade na saúde”, enumerou.

Segundo o presidente do COSEMS-AM, Januário Carneiro da Cunha Neto, a extinção do programa causaria no Estado um “impacto epidemiológico e financeiro sem precedentes”. “Comunidades afastadas voltarão a ter escassez de atendimento médico, que cobrarão uma verdadeira fortuna para passar poucos dias atendendo a população do interior. A necessidade desse programa no Amazonas é muito maior que nos outros Estados”, afirmou.

Para dar maior visibilidade ao manifesto, a AAM e COSEMS/AM realizarão nesta sexta-feira (1) uma audiência pública na Assembléia Legislativa do Amazonas (ALE-AM) onde reforçarão a defesa da permanência do programa. O evento está agendado para as 10h.

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade