Publicidade
Cotidiano
Notícias

Entrevista: Rodrigo Minotauro fala de seu retorno ao UFC 190 neste sábado (1°)

Um ano e quatro meses após sua última luta, Minotauro volta a subir no octógono neste sábado (1), no Rio de Janeiro, para encarar o holandês Stefan Struve, no UFC 190 31/07/2015 às 10:31
Show 1
Minotauro terá o holandês Stefan Struve pela frente sábado, no UFC 190. Luta principal será entre R. Rousey x Bethe Correia
Adan Garantizado Manaus (AM)

O baiano Antônio Rodrigo Nogueira, 39, parece ser um homem indestrutível. Já foi atropelado por um caminhão quando tinha onze anos de idade, ficou internado por um ano para se recuperar deste acidente, teve que reaprender a andar, mas conseguiu superar tudo isto e entrar no MMA em 1999. Por conta do porte físico, Rodrigo ganhou de um primo o apelido de “Minotauro” e virou sucesso nos quatro cantos do planeta. Minota tem 45 lutas (34 vitórias, 9 derrotas, 1 empate e um no-contest), e uma carreira com combates épicos e títulos no extinto Pride e no UFC. O brasileiro, no entanto, também colecionou lesões sérias neste tempo.

Um ano e quatro meses após sua última luta, Minotauro volta a subir no octógono neste sábado (1), no Rio de Janeiro, para encarar o holandês Stefan Struve, no UFC 190. Em conversa exclusiva com o MANAUS HOJE, o lutador revelou que estratégia pretende adotar para vencer um adversário 12 anos mais novo que ele. “Tenho que encurtar, não deixando ele usar a envergadura. Confio no meu boxe na curta distância, mas também posso colocar para baixo e finalizar. Respeito bastante o Struve, mas estou muito confiante”, garantiu Minotauro.

Mesmo após ter ganho quase tudo o que disputou, o lutador afirma que ainda se sente motivado para continuar subindo no octógono. ”A paixão é a minha maior motivação. Amo o que eu faço. Se eu pudesse dobraria esses 17 anos de carreira. Não existe nada melhor na vida do que fazer aquilo que a gente gosta. Enquanto meu corpo me permitir, vou continuar treinando e lutando”, destacou Minota.

Apesar disso, ele chegou a pensar no “adeus” após suas duas últimas lesões. “Não vou mentir, cheguei a pensar sim. A coisa mais difícil para um atleta são as contusões e o tempo de inatividade. Sei que a minha aposentadoria está perto, mas vou continuar lutando até onde conseguir. Ainda posso figurar entre os melhores”, disse o lutador brasileiro.

Pupilos

Minotauro tem uma academia, a Team Nogueira, com várias franquias espalhadas pelo Brasil afora. E ele sempre está de olho em talentos do MMA pelo país. No Rio de Janeiro, ele deu oportunidades aos amazonenses Rodrigo Praia, Herdeson Capoeira e Francisco de Assis (que moram e treinam no local). Ele projeta um belo futuro para seus pupilos barés.

“Esses meninos são supertalentosos e esforçados. No MMA, juntar talento e esforço é a combinação perfeita para formar um campeão. Esses garotos vão dar muitas alegrias para o Brasil ainda. Não tenho dúvidas que serão grandes nomes do UFC um dia. Nunca vi lugar um para sair tanto lutador duro quanto do Amazonas (risos)”, brincou Minotauro.

Ele também elogiou outro amazonense: Dileno Lopes, que também participará do UFC 190, em busca do título dos galos do reality show The Ultimate Fighter (TUF). “Dileno é um lutador experiente e bem completo. Ele me surpreendeu, se mostrou ainda melhor do que eu achava. Com uma boa cabeça e treinando forte, pode ter uma carreira de sucesso no UFC”, finalizou o peso pesado. 


Publicidade
Publicidade