Publicidade
Cotidiano
Notícias

Equipe de A CRÍTICA mostra as promessas que não saíram do papel e ficaram em 2014

Com base nas promessas feitas em dezembro de 2013 e publicadas no especial Perspectivas de 2014, A CRÍTICA lembra o que foi cumprido, o que foi esquecido e o que foi abandonado pelos nossos governantes no ano passao 03/01/2015 às 09:34
Show 1
Hospital da Zona Norte ainda não está pronto, mesmo depois de ser inaugurado
Mariana Lima Manaus (AM)

O início do ano é marcado por reflexões do que foi feito no ano que passou e promessas para os meses que ainda estão por vir. É tempo da esperança e de planejamento, mas também de cobrança pelo que foi prometido e ficou para trás.

Com base nas promessas feitas em dezembro de 2013 e publicadas no especial Perspectivas de 2014, A CRÍTICA lembra o que foi cumprido, o que foi esquecido e o que foi abandonado pelos nossos governantes no ano passado.

Trânsito

Aprovada pelos vereadores da Câmara Municipal de Manaus (CMM) em março de 2012, a implantação do Zona Azul , prometida pela prefeitura em 2013, voltou para a lista de promessas.

O projeto inicial prevê que condutores terão que adquirir um cartão magnético e comprar créditos para usá-los nas vagas de estacionamento. O cartão será inserido em uma máquina eletrônica que calculará o tempo de permanência na vaga. Sistema semelhante a esse é usado em Campo Grande (MS) e Belo Horizonte (MG).


As vagas previstas para o sistema do Zona Azul estão dentro no quadrilátero que inclui a rua ramos Ferreira, além das avenidas 7 de Setembro, Eduardo Ribeiro e Joaquim Nabuco, próximo ao Mercado Municipal Adolpho Lisboa, todas localizadas no Centro da capital, Zona Sul.

A inversão de tráfego em horários de pico nas avenidas Torquato Tapajós, Djalma Batista e Constantino Nery também não saiu do papel. A proposta foi apresentada pelo presidente do Departamento Nacional de Trânsito (Detran), Leonel Feitoza.

Educação

Parte que compreende a reitoria, o refeitório e biblioteca da Cidade Universitária também não foram entregues como o prometido, mas estão em obras. A obra pertence à Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e foi anunciada em 2011 com expectativas de início das construções ainda em 2012, o que não aconteceu. A previsão, agora, é que os prédios prometidos para 2014 sejam concluídos em 2015.

Hospital e água estão em falta

O Hospital da Zona Norte também ficou para 2015. O prédio do pronto-socorro da Zona Norte, Delphina Rinaldi Abdel Aziz, que homenageia a mãe do ex-governador e atual senador Omar Aziz (PSD), foi inaugurado às pressas, dias antes de Aziz entregar o posto de chefe do Executivo Estadual, sem que as obras tivessem sido completamente concluídas.

Em dezembro de 2013, o então vice-governador José Melo (PSDB) prometeu que o hospital faria cirurgias de alta complexidade, como ponte de safena, ainda em 2014. Em dezembro de 2014, Melo voltou atrás, afirmando que todas as instalações do hospital só seriam entregues em julho deste ano.

A distribuição de água tratada em todas as Zonas de Manaus também foi uma promessa não cumprida. O item foi apresentado como prioridade pelo presidente da Manaus Ambiental, Alexandre Bianchini, e pelo prefeito da cidade, Artur Neto (PSDB) para o primeiro semestre de 2014, o que não ocorreu. Segundo o novo planejamento da Manaus Ambiental, ficará para este ano a distribuição de água tratada em 100% da cidade.

Camelódromo

Os Centros de Comércio Popular, conhecidos como Camelódromos, figuram entre as promessas cumpridas de governantes para o ano de 2014. O projeto é um dos mais bem avaliados por amazonenses por facilitar a mobilidade no Centro da cidade.

Aprovação

A ideia de construção dos camelódromos foi apresentada pela equipe técnica do prefeito Artur Neto (PSDB). Com a implementação do projeto, vendedores ambulantes que antes ocupavam ruas e calçadas das principais vias do Centro com barracas foram realocados para galerias em diferentes pontos da cidade.

Publicidade
Publicidade