Quinta-feira, 17 de Outubro de 2019
Notícias

Escolas da Zona Rural de Coari voltam a funcionar

Segundo a prefeitura, os profissionais da educação foram pagos no último dia 30



1.jpg Aulas estão atrasada há pelo menos dois meses
05/05/2015 às 20:08

Nesta terça-feira (5), iniciou o ano letivo para mais de seis mil crianças de cerca de 100 escolas municipais da Zona Rural de Coari que estavam sem aula desde o início do ano. Dessa forma, o recém empossado prefeito do município, Raimundo Magalhães (PRB), cumpre o compromisso assumido por ele com o Ministério Público do Estado (MP-AM) no início do mês passado.

Quando esteve no município, o procurador-geral de Justiça, Fábio Monteiro, observou que o ano letivo ainda não havia começado por falta de merenda nas escolas e transporte escolar para o deslocamento de estudantes e professores. Segundo Fábio Monteiro, os catraieiros – proprietários de barcos de pequeno porte – contaram que paralisaram os serviços do transporte escolar de alunos e professores por falta de combustível que deveria ter sido comprado e distribuído pela prefeitura, e também porque não eram pagos há meses.



Segundo informações da Prefeitura de Coari, 10 toneladas de alimentos foram compradas para abastecer as escolas do município. Conforme a prefeitura, a distribuição da merenda escolar começou na sexta-feira (1) e se prolongou pelo final de semana para dar tempo que as aulas começassem nesta terça-feira.

De acordo com a prefeitura, os profissionais da educação foram pagos no dia 30 de abril pelo atual administração do município.

Parceria com a Transpetro

O prefeito Raimundo Magalhães se reuniu nesta terça-feira (5), em Manaus, com o gerente regional da Transpetro, José Maria de Souza Cruz e o gerente do Terminal do Solimões, Valberto Aires. 

O encontro teve como objetivo reaproximar a administração do município com a petroleira, que desde a Operação Vorax, ocorrida em 20 maio de 2008, e após os sucessivos escândalos de corrupção envolvendo políticos da cidade de Coari, não havia realizado mais nenhuma parceria com a prefeitura. No ápice dos escândalos na prefeitura, a empresa fechou seu escritório, que funcionava na sede do município.

Segundo sua assessoria, a primeira visita de Magalhães à sede regional da Transpetro rendeu uma parceria de apoio logístico, na qual a empresa irá fornecer madeiras e transporte para ajudar o município no atendimento as famílias afetadas pela enchente. O gerente regional José Maria de Souza Cruz se deslocou na tarde desta terça-feira para Coari, onde se reunirá com os secretários de Obras e Defesa Civil para definir detalhes da parceria.

A Transpetro informou que há possibilidade de outra parceria com a prefeitura, desta vez para que sejam realizadas obras de infraestrutura no aeroporto da cidade, possibilitando a operação da Total Linhas Aéreas, empresa de aviação que presta serviço a Transpetro nos trechos Urucu-Manaus.

*Com informações da assessoria


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.