Quarta-feira, 08 de Abril de 2020
ABUSO SEXUAL

Escolas Estaduais do interior do AM aderem campanha contra o abuso sexual

A convocação ocorreu por meu de videoconferência, na base da Secretaria Estadual de Educação (Seduc), bairro Japiim, Zona Sul de Manaus



04.jpg Além de representantes da secretaria de educação, participaram deste momento, a secretária de Direitos Humanos do Amazonas, Graça Prola, a sub-secretária da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh) Mônica Santaella (Euzivaldo Queiroz)
17/05/2016 às 10:48

Na manhã desta terça-feira (17) foi lançado o desafio para as escolas estaduais do interior do Amazonas a Convocação de cada município do participe da Campanha Estadual de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, com o tema: “Esquecer é permitir, lembrar é combater”. A convocação ocorreu por meu de videoconferência, na base da Secretaria Estadual de Educação (Seduc), bairro Japiim, Zona Sul de Manaus.

Além de representantes da secretaria de educação, participaram deste momento, a secretária de Direitos Humanos do Amazonas, Graça Prola, a sub-secretária da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh) Mônica Santaella. A campanha seguiu em transmissão para os 61 municípios do interior. Além da direção das escolas, pedagogos e professores, conselheiros tutelares, representantes das prefeituras de cada município e outras secretarias foram convidados para esta iniciativa.



Conforme a secretária Graça Prola, este ano o Governo Federal traçou três direcionamentos para a campanha. A primeira são as atividades que movimente a sociedade, desde caminhadas, passeadas e outros meios. O segundo direcionamento é inserir as crianças para que elas entendam e saibam dos seus direitos. Por terceiro é fazer com que a campanha se torne um ato político no combate. "Por isso a importância do envolvimento do sirene de educação. Precisamos conscientizar a população e está com os ouvidos e olhos bem abertos" reforçou.

Prola disse que os dados do ano passado mostrou que os principais casos ainda está direcionado ao estupro de vulnerável. A faixa etária é de 12 à 15 anos, mas ultimamente esta faixa etária tem diminuído para os 10 anos. "As maiores vítimas continuam sendo as meninas e conforme o Tribunal de Justiça do Amazonas(Tjam), os modos são os mesmo, e a maioria dos suspeitos estão no convívio social das crianças", disse.

Esta é a 15ª edição da Campanha Estadual de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Outras programações estão previstas para amanhã, dia nacional do combate.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.