Publicidade
Cotidiano
SUGESTÕES

Especialistas dão dicas de investimentos com o benefício das contas inativas do FGTS

No Amazonas, mais de 341 mil trabalhadores podem ter acesso ao benefício. Os saques poderão ser realizados a partir de março deste mês e vão até julho 15/02/2017 às 05:00 - Atualizado em 15/02/2017 às 15:51
Show fgts
(Foto: ABr)
Oswaldo Neto Manaus (AM)

Mais de 30 milhões de trabalhadores brasileiros devem ser contemplados com o benefício das contas inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Os saques poderão ser realizados a partir de março e vão até julho, levando em conta o mês de aniversário do trabalhador. Especialistas ouvidos pelo Portal A Crítica indicam a retirada imediata do valor da conta como a melhor opção neste momento para o pagamento de dívidas antigas. No Amazonas, mais de 341 mil trabalhadores podem ter acesso ao benefício.

O mestre em Economia e coordenador do curso de Administração do Instituto Mauá de Tecnologia, Ricardo Balistiero, considera o FGTS a pior aplicação financeira no mercado financeiro. Segundo ele, o dinheiro do trabalhador perde muito em relação a outras aplicações. Por conta disso, ele sugere a retirada do valor total do banco.

“Esse ponto é o mais importante. O mais recomendado é fazer o pagamento daquelas dívidas antigas e mais caras. Em seguida, é interessante ir abatendo essas dívidas e quitá-las todas, assim os juros serão menores”, afirmou, dizendo que a estratégia pode ser eficaz para pessoas que receberam acima de um salário mínimo.

Em casos onde há dinheiro sobrando após o pagamento das dívidas, Balistiero indica a aplicação do valor em poupança ou no tesouro direto.

“As aplicações financeiras clássicas como a caderneta de poupança e tesouro direto são boas opções. Há uma parcela pequena da população que pode receber acima de R$ 10 mil. Se a pessoa faz parte desse grupo, há opções mais sofisticadas como as LCI (Letras de Crédito Imobiliário) e LCA (Letras de Crédito do Agronegócio) oferecidas pelos bancos”, explicou.

Como investir?

O consultor financeiro Luiz Bacellar deu algumas dicas de como os trabalhadores podem investir o valor do FGTS inativo. De acordo com ele, a aplicação do dinheiro no tesouro nacional e no fundo de investimento bancário pode ser uma solução para aqueles que preferem liquidez imediata.

“É importante ressaltar que 90% das pessoas que vão receber o FGST inativo estão endividados. Então a prioridade é quitar os valores para fugir de juros. Quem quiser também pode guardar o valor para eventuais emergências, caso fique desempregado ou aconteça algum acidente”, comentou o consultor, acrescentando que para investir a pessoa deve escolher o que se encaixa no perfil.

“Quem quiser pode buscar o tesouro direto. Existem aplicações a partir de trinta reais. Os corretores podem ser encontrados pela internet, além da liquidez imediata que poder ser resgatada a qualquer hora. Aqueles que não quiserem muito trabalho podem recorrer ao fundo de investimento no banco. Existe uma rentabilidade muito boa”, disse.

Amazonas

Mais de 341 mil trabalhadores do Amazonas têm saldo disponível em contas inativas do Fundo de Garantia Por Tempo de Serviço (FGTS). A informação é da Caixa Econômica Federal, que divulgou nesta terça-feira (14) o calendário de saques.

Conforme números da Caixa Econômica, ao todo, 341.206 cidadãos amazonenses podem ter acesso ao benefício. A instituição financeira informou que o volume total em contas inativas no Estado é de R$ 353.882.160,67. A média de saque no Estado é de R$ 1.037, porém, é possível valores acima da média. 

O pagamento das contas inativas será realizado a partir de 10 de março e vai até o dia 31 de julho deste ano, seguindo as regras de pagamento definidas pela Caixa, na qualidade de Agente Operador do FGTS. A sistemática leva em conta o mês de aniversário do trabalhador.

Quem pode sacar

De acordo com a MP 763, o trabalhador que pediu demissão ou foi demitido por justa causa até 31 de dezembro de 2015 pode sacar o saldo da conta vinculada, estando ou não fora do regime do FGTS. Antes da publicação da MP, o trabalhador somente poderia sacar caso permanecesse três anos fora do Regime do FGTS ou em caso de aposentadoria, utilização para moradia ou determinadas doenças previstas em lei.

As demais regras de saque das contas ativas não sofreram modificação, ou seja, o saque de contrato de trabalho vigente só pode ocorrer nos casos de demissão sem justa causa, moradia própria ou aposentadoria, por exemplo.

 

Publicidade
Publicidade