Publicidade
Cotidiano
CELEBRAÇÃO

Especialistas e estudantes participam de congresso amazonense de cardiologia

Durante o evento, os congressistas participam de simpósios e mesas redondas, além de palestras e debates sobre doenças cardiovasculares 29/09/2017 às 10:19 - Atualizado em 29/09/2017 às 11:52
Show congresso
Rodrigo Fernandes de Castro foi um dos palestrantes do evento em Manaus (Foto: Euzivaldo Queiroz)
Álik Menezes Manaus (AM)

No Dia do Coração, celebrado nesta sexta-feira (29), especialistas participam do Congresso Amazonense de Cardiologia, no Quality Hotel, localizado na Avenida Mário Ypiranga, no Adrianópolis. Um dos principais temas discutidos foi a importância dos cuidados para prevenir doenças relacionadas ao órgão, que mata mais que HIV e doenças oncológicas no mundo, segundo o médico Marcelo Mouco Fernandes, diretor-presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia Regional Amazonas.

O congresso começou na quinta-feira (28) e têm a participação de cardiologistas de todo estado, além de alunos dos cursos de Medicina e Enfermagem. Durante o evento, os congressistas participam de simpósios e mesas redondas, além de palestras e debates sobre doenças cardiovasculares . "É uma oportunidade de trocarmos informações e experiências sobre essas doenças e formas de prevenir”, disse o diretor científico da SBC Regional Amazonas, João Marcos Barbosa.

De acordo com médico, o evento também é uma ótima oportunidade de que os profissionais que atuam no Amazonas conheçam as novidades clínica, cirúrgica, ambulatorial e emergencial da área.

Marcelo Mouco Fernandes destacou que ao longo do evento também foram abordadas características de epidemias e doenças do coração na população amazônica, além da importância de se avaliar os pacientes antes de prescrever exercícios físicos. "Não é muito falado, mas as doenças relacionadas ao coração matam mais que HIV e doenças oncólogicas no mundo. Por isso, é importante divulgar e falarmos dos cuidados, da importância de hábitos saudáveis e o acompanhamento médico",disse.

LEIA MAIS:

A cada 40 segundos, uma pessoa morre vítima de doença cardiovascular no Brasil

Publicidade
Publicidade