Terça-feira, 02 de Junho de 2020
VOOS CANCELADOS

Estação meteorológica de Parintins passa por manutenção emergencial

Instabilidades na operação da Estação Meteorológica de Superfície (EMS) do aeroporto Júlio Belém foram apontadas como motivo para o cancelamento dos voos da MAP para o município



show_show_MAP_1672FBEF-4EB6-40E2-935C-C8022A9B73E8.jpg Foto: Divulgação
07/03/2020 às 15:58

A Estação Meteorológica de Superfície (EMS) do tipo SH-10 avaliada em mais de R$ 1 milhão reais instalada em janeiro do ano passado no aeroporto Júlio Belém, de Parintins, opera com instabilidade na apresentação de informações meteorológicas e, de acordo com a linha aérea regional MAP, isso tem sido o motivo para o cancelamento dos voos.

Na manhã deste sábado (7), os voos 5968 (Manaus- Parintins), das 7h, e o voo 5969 (Parintins - Manaus), das 8h35, foram cancelados devido a estação meteorológica estar inoperante no Aeroporto de Parintins.



Procurada pela reportagem, a MAP respondeu que somente pode operar no aeroporto de Parintins caso haja informação meteorológica . 

“A legislação que regulamenta a operação da MAP é o RBAC 121, que proíbe expressamente as operações sem a estação meteorológica. Qualquer operação deliberadamente sem a análise e as devidas informações meteorológicas representará um desvio ao regulamento aeronáutico e potencialmente uma infração administrativa e penal”, disse o diretor executivo da Voepass/MAP, Eduardo Busch.

A Prefeitura Municipal de Parintins, responsável pela manutenção e funcionamento da Estação Meteorológica de Superfície (EMS) disse que o terminal aéreo de Parintins opera com procedimentos VFR, ou seja, operação visual conforme ROTAER (rotas aéreas), que é um documento disponível em todas as salas de tráfego e de fácil consulta através da internet. 

Ainda segundo a Prefeitura, a EMS passou por manutenção preventiva no período de 17 a 21 de fevereiro de 2020, através de um técnico qualificado da empresa HOBECO LTDA, conforme contrato 101/GAPCE-CISCEA/2017, e gerou um relatório que está disponível para as empresas aéreas na sala da Administração do Aeroporto Júlio Belém.

As Estações Meteorológicas de Superfície (EMS) coletam dados representativos das condições meteorológicas no aeroporto e sua vizinhança, dentro de um raio de 16 quilômetros. 

São equipadas com sensores automáticos e fornecem informações essenciais para o pouso e a decolagem das aeronaves. Essas informações compreendem direção e velocidade do vento, visibilidade, fenômenos de tempo como chuva e nevoeiro, quantidade e altura da base das nuvens, temperaturas do ar e do ponto de orvalho e pressão atmosférica para a aviação.

Manutenção Emergencial

A administração do aeroporto Júlio Belém informou que devido a alguns casos de instabilidade da estação meteorológica, já acionou a empresa com sede no Rio de Janeiro para iniciar uma manutenção de emergência e que a mesma  identificou o problema e está enviando um técnico para restabelecimento total das informações meteorológicas.

“Após apresentar esses problemas, o prefeito Bi Garcia nos orientou a comunicar a empresa responsável pela manutenção da EMS, que tem a sua sede no Rio de Janeiro, e a mesma identificou o problema e está enviando um técnico para restabelecimento total das informações. Estão enviando, junto algumas peças que talvez tenham que ser trocadas devido a falha nas informações que são processadas e emitidas” esclareceu o diretor do aeroporto, Jean Jorge.

A manutenção será em todos os equipamentos que formam a EMS e as peças que forem identificadas que são responsáveis pela falha das informações deverão ser substituídas.

“Quando a manutenção preventiva do mês de fevereiro ocorreu, a estação não apresentava instabilidade, o objetivo era mantê-la 100% operacional apesar de nenhum problema ter sido detectado à época, mas como agora está apresentando problemas, vai ser necessário uma outra manutenção, aí sim, emergencial”, explica o diretor.

Inquérito civil 

O diretor executivo da MAP chamou de “absurdo” o inquérito civil aberto pelo Ministério Público do Amazonas (MP-AM) para apurar suposta prática abusiva decorrente dos frequentes cancelamentos de voos de chegada e partida do Município de Parintins.

“A gente recebeu uma informação que foi aberto um inquérito civil para apurar a responsabilidade da MAP nesses cancelamentos. É um absurdo tentarem nos responsabilizar por uma coisa que não é culpa nossa. É você tratar a vítima como culpado”, disse.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.