Publicidade
Cotidiano
SECA

Estiagem já afeta 40 mil pessoas no Estado do Amazonas, afirma Defesa Civil

Escassez de chuvas na região colocou quatro municípios em situação de emergência e carentes de ajuda 16/03/2016 às 08:00
Show estiagem
Defesa Civil do Estado está levando ajuda humanitária às famílias atingidas pela estiagem atípica em quatro municípios (foto: Márcio Silva)
Hellen Mirada Manaus (AM)

Mais de 40 mil pessoas foram afetadas pela estiagem atípica na região, revela o balanço atual da Defesa Civil do Amazonas. Até o momento, os municípios de Presidente Figueiredo, Santa Isabel do Rio Negro, São Gabriel da Cachoeira e Barcelos permanecem em situação de emergência.

De acordo com a Defesa Civil, as medidas tomadas para auxiliar as áreas atingidas envolvem ajuda humanitária e recursos financeiros. “Estamos empregando todos os meios para fazer chegar ajuda humanitária às famílias que estão prejudicadas com pesca e a agricultura, por conta da escassez de água. As cestas básicas vão garantir a segurança alimentar neste período emergencial”, ressaltou o secretário-executivo da Defesa Civil do Amazonas, Fernando Pires Junior.

Conforme informações do órgão, os técnicos da pasta começaram na última terça-feira (16) a distribuição de ajuda humanitária em Sã o Gabriel da Cachoeira, no Alto Rio Negro. Ainda segundo a Defesa Civil, todos os atendimentos aos locais atingidos pela seca estão sendo realizados via terrestre, fluvial e aérea. 

A ajuda humanitária envolve alimentos não perecíveis, kit’s dormitórios, medicamentos e kit’s higiene. Além de água potável, hipoclorito de sódio, caixas d’água e moto bomba para o auxílio da produção rural das comunidades. E os municípios afetados receberam um aporte financeiro de R$ 300 mil.

Os municípios firmaram o compromisso de realizar um plano de contingência para desastres, que prevê o mapeamento de áreas de risco, previsão de desastres característicos da região, período de crise, entre outras informações.

Previsão

Dados do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam) apontam que, de acordo com o padrão climatológico considerado normal para o mês de março, em Manaus são esperados acumulados de precipitação entre 240 e 303 mm e de 20 a 23 dias com chuva durante o mês.

Até as 13h de ontem, a estação automática do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), localizada no bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul, registrou 122,2 mm de chuva e, a estação convencional do mesmo instituto, 140,1 mm.

De acordo com a meteorologista Deydila Bonfim, do Sipam, o comportamento das chuvas começa a adquirir aspecto compatível com a climatologia, embora com volumes ainda ligeiramente inferiores neste mês. “Há consenso sobre a persistência do fenômeno El Niño no decorrer do trimestre março, abril e maio de 2016, mas também do seu gradual enfraquecimento”, explicou.

Para o restante do Amazonas, o prognóstico para o trimestre março, abril e maio é de precipitação abaixo dos padrões climatológicos no Centro-norte e Nordeste. Nas demais áreas do Estado, a precipitação deverá ocorrer próximo dos padrões climatológicos.

Céu nublado de hoje até sexta

Segundo o Sipam, o tempo nesta quarta-feira (16) deve ficar  instável com muitas nuvens, favorável à ocorrência de chuva a qualquer hora.  Para quinta (17) e sexta (18) a tendência é de redução das chuvas, com céu parcialmente nublado e temperaturas entre 24°C e 33°C.

Publicidade
Publicidade