Publicidade
Cotidiano
Notícias

Estudante amazonense participa de Conferência Mundial de Jovens Líderes, nos EUA

Aluna do 1º ano do ensino médio foi uma das três representantes do Brasil, e a única da Região Norte, no evento realizado em Washington e Nova York 18/07/2013 às 17:43
Show 1
Ana Bárbara em frente a Universidade Georgetown
acritica.com Manaus (AM)

A Conferência Mundial de Jovens Líderes (Global Young Leaders Conference – GYLC) é uma conferência para jovens de todo o mundo que tem por objetivo formar novos líderes, proporcionando aos alunos com bom desempenho e idades entre 15-18 anos, uma maior compreensão de seu papel como embaixadores globais, analisando os conceitos de comunicação, diplomacia, direitos humanos, paz, segurança, economia e do papel das Nações Unidas.

Os alunos são pessoalmente selecionados e podem optar por participar do programa especificamente nos Estado Unidos, Washington e Nova York, China ou ainda na Europa. Os estudantes voltam para casa com perspectiva valiosa sobre suas próprias carreiras e futuros, e uma maior compreensão de seus papéis e responsabilidades como cidadãos.

A aluna Ana Bárbara Silva Farias, de 15 anos, aluna do primeiro ano do High School Colégio Martha Falcão, foi selecionada e participou no período de 21 de junho a 03 de julho nas cidades de Washington e Nova York. “Eu participei do pre-program, que um é programa que antecede a conferência onde nós aprendemos mais sobre as nossas habilidades de liderança dura três dias. A conferência aconteceu em Washington e partiu para Nova York dia 29”, conta.

Segundo Ana Bárbara o pre-program contou com a participação de 178 jovens líderes e a conferência 359, de países como Austrália, África do Sul, Índia, Egito, Arábia Saudita, Líbano, Bangladesh, Itália, Alemanha, Suíça, Noruega, China, Japão, Singapura, Costa Rica, Guatemala, Equador, Colômbia, Estados Unidos, Zimbábue, entre outros.

Para a jovem a experiência foi maravilhosa de formas inexplicáveis. “Do Brasil só estávamos eu e mais duas pessoas, sendo eu a única do Norte do país e os outros dois do Nordeste. Ser uma das poucas pessoas a representar o Brasil foi único, foi também apavorante em alguns momentos e curioso em outros, pois chama atenção o número de participantes da Austrália, por exemplo, e um país como o nosso onde tão poucas famílias investem na oportunidade para seus filhos o que mostra bem a diferença educacional e cultural do nosso país para com países mais desenvolvidos”, ressaltou Ana Bárbara.

Ana Bárbara que sonha em ser médica garante que se sente preparada para enfrentar os desafios do mundo. “Meus planos para o futuro só se fortaleceram, eu desejo mais ainda continuar em busca do meu sonho de me formar em medicina em uma das melhores universidades do mundo. Porém pude alterar algumas partes desse plano. Eu pretendia morar nos Estados Unidos, mas depois de ver tantas diferentes culturas eu aprendi a apreciar alguns aspectos da cultura brasileira e assim desejo retornar com meu conhecimento adquirido no exterior e tentar fazer diferença para o nosso país”, finaliza.

Publicidade
Publicidade