Publicidade
Cotidiano
JOVENS EMBAIXADORES

Estudante da rede pública do Amazonas fará intercâmbio nos EUA

Everton Tiago Rocha de Negreiros, 17, aluno recém-formado da Escola Estadual Ruy Araújo, localizada no bairro da Cachoeirinha, Zona Sul de Manaus, foi um dos 50 selecionados para participar do “Programa Jovens Embaixadores” 09/01/2017 às 05:00
Show jovem03333
O “Jovem Embaixador” Everton Negreiros e o secretário de Estado da Educação, professor Algemiro Lima. Foto: Eduardo Cavalcante/ Seduc
acritica.com Manaus

Concorrendo com mais de 18 mil estudantes de todo o Brasil, o jovem Everton Tiago Rocha de Negreiros, 17, aluno recém-formado da Escola Estadual Ruy Araújo, localizada no bairro da Cachoeirinha, Zona Sul de Manaus, foi um dos 50 selecionados para participar do “Programa Jovens Embaixadores” e embarcará amanhã, dia 10, para Brasília, e de lá seguirá para Washington, nos Estados Unidos, onde fará um intercâmbio cultural.

Na capital norte-americana, durante três semanas, Everton e outros jovens de todos os Estados brasileiros participarão de reuniões com autoridades do governo dos Estados Unidos e líderes comunitários; visitarão escolas e projetos sociais; participarão de atividades de voluntariado e farão também uma apresentação sobre o Brasil, a cultura e suas respectivas cidades.

Ansioso, o amazonense conta que está quase tudo preparado para a viagem e que são grandes as expectativas com o intercâmbio. “Está quase tudo pronto para a viagem. A primeira providência foi conseguir as roupas próprias para o clima dos Estados Unidos, que é completamente diferente do nosso. Falei com amigos que já viajaram para o Sul do País e até pra fora do Brasil para emprestar algumas roupas. E agora só falta mesmo arrumar as malas. Estou muito ansioso com a viagem”, contou o estudante.

Everton, que é aluno bolsista do curso de inglês do Instituto Cultural Brasil Estados Unidos (ICBEU), tem pesquisado sobre a cultura do país, os costumes, para estar familiarizado, mas segundo ele, a realidade será bem diferente do que tem aprendido nos livros.

“Tenho pesquisado sobre a cultura dos Estados Unidos e também tenho aprendido muito no curso de Inglês do ICBEU, onde sou aluno bolsista. Pelo que os professores falam sobre a política, os costumes, tenho uma noção de como deve ser o dia a dia de lá, mas ainda assim, acredito que terei um ‘choque de cultura’, pois aprender em sala de aula é uma coisa e viver a realidade é algo bem diferente”, explicou Everton. 

Durante o intercâmbio, além de conhecer a cultura norte-americana, Everton, assim como os demais estudantes selecionados no programa, farão uma apresentação sobre o Brasil, destacando aspectos históricos e culturais. A intenção do jovem é levar “um pouco de tudo” em sua bagagem.

“Minha apresentação foi baseada nas que costumo fazer no curso de inglês. Resolvi destacar as paisagens que temos aqui. Selecionei imagens famosas dos quatro cantos do País e enfatizar a história da cidade de Manaus, os pontos turísticos, como o Teatro Amazonas, a cultura indígena, enfim, levar um pouquinho de tudo”, afirmou.

Vaga na faculdade e orgulho
Everton  conquistou recentemente uma vaga no vestibular da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) para Licenciatura em Computação. Ele afirma que desde que foi selecionado no “Programa Jovens Embaixadores”, muita coisa mudou em sua vida. 

Para ele, que estudou parte da educação básica na rede particular e concluiu os estudos na rede pública estadual, o bom aluno deve aproveitar as oportunidades que aparecem para crescer como pessoa.

Para o pai de Everton, o professor Everton Chagas Negreiros, a conquista do filho é uma enorme satisfação e mostra o retorno que muitos pais esperam do investimento que fazem em seus filhos: “È o retorno de um investimento que nós, como pais, fazemos em nossos filhos e, que muitas vezes, não vemos um retorno como esse em outras famílias. Essa conquista foi um esforço único e exclusivo dele. Para mim e para a mãe dele é um momento de muita alegria”.

O “Programa  Jovens Embaixadores” é coordenado pela Embaixada dos Estados Unidos da América (EUA) e conta com o apoio das secretarias estaduais de educação e Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed). Desde sua criação, em 2002, o programa proporcionou o intercâmbio a mais de 400 jovens brasileiros da rede pública de ensino.

Publicidade
Publicidade