Publicidade
Cotidiano
Notícias

Estudante de 17 anos de idade vai concorrer a uma vaga de vereador

Matheus Dias vai concorrer, em 2016, a uma vaga de vereador na Câmara Municipal,  com a proposta de contribuir no combate à corrupção 28/11/2015 às 09:11
Show 1
A apresentação oficial no auditório Belarmino Lins, da Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM)
Natália Caplan Manaus (AM)

O estudante Matheus Dias lança, neste sábado (28), pré-candidatura para vereador de Manaus, pelo Partido Nacional da Mobilização (PMN). Seria apenas mais um nome na lista das eleições de 2016 se não fosse por um detalhe: ele tem apenas 17 anos. A apresentação oficial será durante o encontro municipal da legenda, às 8h, no auditório Belarmino Lins, da Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM).

O jovem aspirante a uma das 41 cadeiras da Câmara Municipal de Manaus (CMM) revelou o que o motivou a se envolver no pleito, demonstrou confiança e afirmou não temer ser visto com descrédito por conta da pouca idade. No terceiro ano do Ensino Médio e morador do bairro São José 3, na Zona Leste, Matheus Dias tem uma preocupação: incentivar a juventude a discutir e conhecer os três poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário).

Por que você decidiu se pré-candidatar a vereador?

Vivemos em um tempo de muita corrupção e as pessoas não acreditam mais na política. Acredito que pode haver mudanças, quero uma restauração no meio político e resolvi fazer parte da renovação. Acredito que eu não devo me omitir nesse momento tão importante para o Brasil.

Mas você não teme ser criticado por ser tão novo?

As pessoas falam que sou muito jovem para ser vereador, mas vou manter a cabeça no lugar e pés no chão; fazer um bom trabalho pela minha cidade. É tempo de renovação e eu tenho capacidade de, ao mesmo tempo, construir minha carreira profissional (quero estudar direito) e prezar pela cidade. Pessoas do meu círculo social me veem como um jovem promissor. Alguns até pediram para eu sair como vereador, me incentivaram bastante.

Então, na tua opinião, a vitória é possível?

Eu tenho certeza que posso, sim, ganhar a eleição. Sou muito novo, mas tenho pessoas que estão ao meu lado e podem me aconselhar durante esse período de campanha. Posso me colocar como uma esperança de renovação na política local. Estou vindo para mostrar que pode haver mudança.

Como você pretende passar credibilidade aos eleitores?

A melhor maneira de demonstrar é com a minha postura, com o exemplo. Ao decorrer da minha campanha vou demonstrar isso, que estou indo para ganhar. Vou me apresentar, não como um garoto, mas como um homem que representará a população na Câmara Municipal de Manaus [CMM].

Qual será a tua bandeira na campanha? Tem propostas?

Entre as minhas principais propostas estão trabalhar pela melhoria da mobilidade urbana e pelo aumento no investimento da iluminação pública. A maioria dos ônibus circula em estado precário e depender do transporte público em Manaus chega a ser desumano. Quanto à iluminação, em muitos pontos da cidade, a população está entregue à escuridão.

E como surgiu esse envolvimento na política?

Minha história na política começou há pouco mais de um ano, acompanhando as notícias sobre os escândalos de corrupção pela imprensa e redes sociais. Então, decidi participar da coordenação dos movimentos de rua que pedem o impeachment da presidente Dilma Rousseff [PT]. Em seguida, decidi me envolver no pleito eleitoral. Inclusive, estamos esperando orientação da coordenação nacional sobre novas manifestações em todo o País para voltar às ruas.

Teus amigos também se interessam por política?

Muitos jovens não sabem a importância do poder parlamentar, do Executivo e do Judiciário. Não têm consciência de que a política é necessária. Nas escolas públicas — eu estudo na Escola Estadual Ernesto Penafort —, infelizmente, as pessoas são despolitizadas e não acham política importante. Mas quando vou para outra atmosfera de amizades, em meio a universitários e integrantes de entidades engajadas socialmente, isso muda e tenho com quem conversar.

Na tua opinião, qual seria a estratégia ideal para atrair mais jovens e instigar curiosidade pelo tema?

Está faltando apoio. Precisamos mudar isso. A melhor forma de influenciar os jovens é mostrar como a política funciona. A política rege tudo. Eles precisam entender a importância do voto. Devemos incentivar a leitura, fazer ações sociais e visitar instituições públicas. Por que não ter excursões à Câmara Municipal ou Assembleia Legislativa? São lugares para aprender, é o reduto dos políticos, onde se decide o futuro da cidade, do Estado e do País.

Em números

Dezessete anos é a idade do mais jovem pré-candidato a uma cadeira na Câmara Municipal de Manaus (CMM), Matheus Dias. Casos semelhantes, porém, não são mais novidade. Em 2012, seis vereadores com idades entre 17 e 20 anos foram eleitos no Brasil.

Publicidade
Publicidade