Publicidade
Cotidiano
Notícias

Estudantes cobram passe livre e repasse de royalties à educação

Líderes de movimentos estudantis aproveitaram a data comemorativa do Dia do Estudante, ontem, para lembrar lutas importantes 12/08/2015 às 10:36
Show 1
Estudantes reivindicaram também melhorias na Ufam e agilidade nas obras, tanto na capital quanto no interior
LUANA CARVALHO Manaus

Ontem, no Dia do Estudante, uma ação reuniu pouco mais de 10 pessoas em frente à reitoria da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), durante a manhã de ontem. Mesmo com a baixa adesão, líderes de movimentos estudantis reafirmam que a luta pelo passe livre e pelo repasse de 100% dos royalties da exploração mineral para a educação são pautas irrevogáveis em 2015.

No próximo sábado, durante a Conferência Municipal de Juventude, os estudantes apresentação uma carta aberta em defesa do passe livre ao prefeito Arthur Neto. “Esse ano a luta ao passe livre vai ser intensificada. Nós, das entidades de movimento estudantil, vamos construir  uma grande mobilização”, adianta a presidente da União Estadual dos Estudantes do Amazonas, Bruna Souza.

Ainda que os estudantes tenham conquistado causas importantes, como o repasse de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) para educação, aprovada no ano passado no novo Plano Nacional de Educação (PNE), para o movimento ainda falta discutir a  implementação da verba. “Tem que ser debatido para onde vai o recurso e em que áreas será investido. Nós queremos mais assistência estudantil, melhor estruturação da universidade, criação de uma rede de cultura nas universidades e a ampliação de bolsas”, afirma Bruna.

Minérios

Outra luta fundamental que precisa ser travada, ainda segundo Bruna, é a defesa dos minérios do Amazonas para a educação. “A gente quer participar das pesquisas que ocorrem em todo o Estado, dos minérios que são explorados, e queremos que sejam revestidos pra educação, assim como os 10% do PIB”, defende a líder estudantil.

Além de lembrar o Dia do Estudante, os jovens ocuparam a reitoria da Ufam para reivindicar melhorias na universidade, tanto na capital, quanto no interior. Eles pedem, em primeiro lugar, a ampliação e melhoria na qualidade do serviço dos Restaurantes Universitários e imediata construção do RU no município de Parintins.

Agilidade nas obras em andamento do Campus de Manaus e nas unidades do interior do Estado; a volta da realização das ‘Sextas Culturais’, evento de fortalecimento e incentivo à cultura; a reabertura da Casa do Estudante e ampliação de novos campis universitários no interior também integram o pleito.

Mais mobilização

O coletivo estudantil Movimente Ufam, em parceria com a Associação dos Docentes da Universidade Federal do Amazonas (ADUA) e o Sindicato dos Trabalhadores em Ensino Superior do Amazonas (Sintesam), realizou, ontem à tarde, ato contra a redução da maioridade penal e os cortes de verbas na Educação, no Largo São Sebastião.

Publicidade
Publicidade