Sábado, 17 de Agosto de 2019
GASTO

Estudo mostra economia de 77% em medicamentos usados na FCecon

A economia foi gerada após a implantação da Farmácia Satélite, que foi criada em março para otimização e controle do uso de medicamento no centro-cirúrgico



aagora_otimiza__o_7F3CBBF0-ECED-488F-A654-51FCCA760B50.JPG Foto: Divulgação/Fcecon
02/08/2019 às 14:19

Um estudo sobre a Farmácia Satélite, da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), unidade vinculada à Secretaria de Estado de Saúde (Susam), aponta uma economia de 77,32% no gasto com medicamentos utilizados em cirurgias na unidade hospitalar em 2019. O atendimento ao paciente também apresentou melhorias, com a rapidez na disponibilização dos fármacos.

A Farmácia Satélite foi criada em março deste ano na FCecon, para otimização e controle do uso de medicamentos no centro-cirúrgico.

Dois farmacêuticos ficam no centro-cirúrgico à disposição das equipes responsáveis pelos procedimentos. Antes da implantação do projeto, técnicos e enfermeiros precisavam ir à Central da Farmácia da FCecon, que fica em andar diferente do centro-cirúrgico, para acessar os medicamentos usados nas cirurgias.

“Agora, se ocorrer alguma emergência ou necessidade, já tem uma farmácia dentro do centro-cirúrgico, com um farmacêutico especialista. Tudo se resolve de maneira mais rápida, e melhora o atendimento do paciente”, explica a gerente do Serviço de Farmácia, Bianca Ladislau.

O estudo de impacto farmacoeconômico analisa o uso de medicamentos controlados, como anestésicos, usados para sedar o paciente, e antimicrobianos, após a implantação da Farmácia Satélite. O objetivo é comprovar o custo-benefício da iniciativa.

“São medicamentos muitos caros, que são padronizados somente na FCecon, que têm diferencial de preço, de valor. E perdíamos esse controle. Montando a Farmácia Satélite, conseguimos racionalizar a demanda e atender esses pacientes que estão nas salas do centro-cirúrgico”, afirma Ladislau.

Padronização 

Cada cirurgia realizada na FCecon passou a receber um kit padronizado com a quantidade necessária de medicamentos para os tipos de procedimento. Esse padrão segue protocolos e normas técnicas do Instituto Nacional do Câncer (Inca) e de hospitais que são referência no tratamento de câncer.

A definição e utilização dos protocolos são feitos pelo Serviço de Farmácia, juntamente à gerente do Centro-Cirúrgico da FCecon, enfermeira Graça Godin, e em parceria com o Centro de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH).

Controle 

Os kits são montados no dia anterior às cirurgias. A enfermeira que atuará em determinado procedimento vai até a Farmácia Satélite, pega o kit e leva para a sala do centro-cirúrgico. Todo o processo passa por controle, por meio do projeto.

“Juntamente com esse kit, vai a folha de gasto. Quando acaba a cirurgia, a enfermeira devolve o kit com a folha. O farmacêutico analisa o que foi gasto e o que não foi, é dado baixa no que foi utilizado e são prestadas contas do medicamento usado”, afirma a gerente da Farmácia.

Estudo e economia 

No estudo de impacto, foi selecionada uma mostra com 40 cirurgias em 2018, e 40 em 2019, após a implantação da Farmácia Satélite. Os casos envolvem os mesmos tipos de procedimento.

Foi analisada a dispensação de medicamentos para cada intervenção. Em 2018, as 40 cirurgias consumiram 445 medicamentos, com um gasto total de R$ 17.732,76. Em 2019, após a Farmácia Satélite, outras 40 cirurgias utilizaram 148 fármacos, com gasto de R$ 4.041,69. “Ou seja, nós reduzimos em R$ 13 mil, o equivalente a 77,32%, somente nesses 40 casos, que são as mesmas cirurgias. Isso é só um demonstrativo de como o projeto reduz custos”, salienta Bianca Ladislau.

Na avaliação do diretor-presidente da FCecon, mastologista Gerson Mourão, a implantação do projeto mostra a importância que a Fundação dá ao controle de gastos, aos recursos públicos e à população. “Temos uma responsabilidade grande de cuidar e tratar pessoas com câncer do Amazonas e de outros estados. Qualquer iniciativa para reduzir gastos é positiva, porque esses recursos podem ser alocados para outras aéreas que precisam de maior investimento dentro da FCecon”, disse Mourão.

O estudo será submetido ao Comitê de Pesquisa do 5º Congresso Pan-Amazônico de Oncologia, que é realizado pela FCecon e ocorre em setembro de 2019.

Próximos passos 

A Farmácia Satélite, em breve, será ampliada para também monitorar e definir a quantidade de todos os materiais que se utilizam em uma cirurgia, como gaze, soro, seringa, fio cirúrgico e outros tipos de medicamentos. O projeto deve ser implantado ainda neste ano.

*Com informações de assessoria de imprensa

Receba Novidades

* campo obrigatório
News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.