Quarta-feira, 17 de Julho de 2019
INTERNACIONAL

EUA acusam Irã de atacar navios-tanque; preço do petróleo dispara

Evento aumenta tensão no Golfo de Omã, uma das principais áreas de extração de petróleo. Preço do barril aumentou em 4%



1560411419_650275_1560433176_noticia_normal_recorte1_3AAA14D6-2837-4B6B-9999-9CB6D8446E63.jpg Foto: Reuters/ Isna
14/06/2019 às 10:27

O Irã disse nesta sexta-feira (14) que é alarmante e errado os Estados Unidos culparem Teerã por ataques contra dois navios-tanques na entrada do Golfo Pérsico, depois de um incidente que provocou temores de um novo confronto na rota vital de transporte de petróleo.

Os EUA divulgaram um vídeo que disse mostrar que a Guarda Revolucionária do Irã esteve por trás dos ataques de quinta-feira (13), perto do Estreito de Hormuz contra o norueguês Front Altair, que pegou fogo, e o japonês Kokuka Courageous.

As duas embarcações estavam à deriva no Golfo de Omã nesta sexta-feira, depois que suas tripulações as abandonaram devido aos ataques, que causaram um salto nos preços do petróleo.

Explosão

O petroleiro norueguês Front Altair, que viajava de Ruwais (Emirados Árabes Unidos) a Taiwan com 75.000 toneladas de nafta (um derivado do petróleo), começou a pegar fogo à 1h05 (hora de Brasília), depois que seus tripulantes ouviram uma “fortíssima explosão”.

O japonês Kokuka Courageous, que transportava metanol do porto saudita de Jubail para Singapura, sofreu dois impactos no prazo de três horas, o que provocou um rombo acima da linha de flutuação, segundo a Kokuka Sangyo, empresa proprietária. Os tripulantes foram retirados ilesos, com exceção de um trabalhador do Kokuka Courageous que teve ferimentos leves.

Cerca de um quinto do petróleo consumido globalmente passa pelo Estreito de Hormuz, enviado por produtores de energia do Golfo, inclusive a Arábia Saudita, a maior exportadora mundial de petróleo cru.

Os militares dos EUA disseram que um vídeo em preto e branco filmado de uma aeronave norte-americana mostrou membros da Guarda se aproximando do Kokuka Courageous em um barco de patrulha depois de explosões atingirem as duas embarcações e removendo uma mina-lapa que não explodiu do casco.

“A avaliação do governo dos Estados Unidos é que a República Islâmica do Irã é responsável pelos ataques que ocorreram no Golfo de Omã”, disse o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, aos repórteres.

Ele disse que a avaliação se baseou em inteligência, nas armas usadas, na especialização exigida e em ataques recentes semelhantes.

Escalada de tensão

Os EUA culparam o Irã ou representantes por ataques que danificaram quatro navios-tanques na mesma área em 12 de maio, dizendo ainda que Teerã esteve por trás dos ataques de drone de 14 de maio contra duas estações de bombeamento de petróleo sauditas. Teerã negou todas as acusações.

“Estas acusações são alarmantes”, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores iraniano, Abbas Mousavi, acrescentando que culpar o Irã pelos ataques de quinta-feira é “a forma mais simples e conveniente para Pompeo e outras autoridades dos EUA”.

Teerã também afirma que os EUA e aliados regionais, como os rivais iranianos Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos, estão “instigando a guerra” ao fazer tais alegações.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.