Publicidade
Cotidiano
Notícias

Everaldo Farias pede a expulsão de Platiny Soares do PV por conta de homenagem a Jair Bolsonaro

'Essa homenagem é negativa. O Platiny foi infeliz nesse posicionamento, uma vez que o deputado Jair Bolsonaro é declarado um opositor ao que prega o PV, e ao que preconiza a nossa plataforma política', afirma Everaldo 01/12/2015 às 18:24
Show 1
Além de Everaldo, o ex-candidato a presidência pelo Partido Verde, Eduardo Jorge, se manifestou contra a proposta
Janaína Andrade Manaus (AM)

O vereador Everaldo Farias (PV) afirmou que irá pedir a expulsão do colega de partido, deputado Platiny Soares, à direção estadual da sigla. O pedido é resultado da proposta de Platiny, em homenagear o deputado federal Jair Bolsonaro (PP/RJ), com o maior tributo do parlamento estadual - a Comenda Ordem do Mérito Legislativo do Amazonas.

A homenagem proposta por Platiny ocorrerá no dia 10 deste mês, Dia Internacional dos Direitos Humanos. Bolsonaro é conhecido internacionalmente por seus posicionamentos abertamente contra homossexuais, mulheres e negros. Ele já foi alvo de processos e até condenado por suas declarações e incitações. O pepista, depois de ser processado por crime ambiental, chegou a pedir autorização da Justiça para pescar em área de preservação.

“Essa homenagem é negativa. O Platiny foi infeliz nesse posicionamento, uma vez que o deputado Jair Bolsonaro é declarado um opositor ao que prega o PV, e ao que preconiza a nossa plataforma política. Isso faz com que o PV, em nível nacional, se posicione radicalmente contra todo esse posicionamento dele e da proposta apresentada pelo Platiny. A direção estadual irá se reunir nesta terça-feira (1º) à noite e eu irei propor a expulsão dele do partido”, adiantou Everaldo.

Procurada pela reportagem, a presidente estadual do PV, Eliana Ferreira, via mensagem de texto, deu uma prévia do que seria discutido na reunião. “O Partido Verde irá se reunir para discutir a decisão pessoal do deputado estadual Platiny Soares, de homenagear o deputado federal Jair Bolsonaro, e que vai totalmente de encontro com o que preconiza o estatuto da nossa sigla. Desde já quero deixar observado que o Partido Verde é veementemente contra esta comenda”, disse a presidente da sigla.

Questionado sobre a possibilidade de ser expulso do PV caso não recue da proposta de homenagear Bolsonaro, o deputado Platiny afirmou que está “preparado”. “Essa reunião não tem caráter oficial, porque até o momento, nem a presidência nacional, nem a presidência estadual ou a municipal do PV, nem o Everaldo Farias, me procuraram. Assim como a ação de um homem chamado Eduardo Jorge (Eduardo Jorge é ex-deputado estadual pelo PV, e usou o Twitter na segunda-feira para protestar contra a homenagem). Estou preparado se pedirem a minha expulsão, não tem problema. Soldado que tem medo de ir à guerra é covarde. Não irei recuar da homenagem ao Bolsonaro”, garantiu Platiny.

Blog: Ruan Otávio

Membro do Movimento Estudantil

"Qual a contribuição  do Jair Bolsonaro ao povo do Amazonas para receber essa homenagem? Estivemos reunidos na segunda-feira à noite com representantes de pelo menos 40 entidades que são contrárias a essa homenagem. Ontem fomos à ALE, onde uma comissão representando essas organizações conversou com o deputado Platiny sobre essa proposta de homenagear ao Bolsonaro, justamente no Dia Internacional dos Direitos Humanos, e ele reafirmou a manutenção da mesma. Homenagear o Bolsonaro, que defende homofobia, machismo, violência contra mulher, no Dia Internacional dos Direitos Humanos é no mínimo irresponsável e revela quem é o deputado Platiny e quais são seus posicionamentos."

Dignidade

Para o deputado Platiny , “a Comenda Ordem do Mérito Legislativo do Amazonas é concedida a qualquer cidadão brasileiro que tenha se destacado por seus trabalhos de relevância pelo interesse da sociedade”. “E não tenho dúvidas que a atuação do deputado Bolsonaro no Exército Brasileiro e na Câmara dos Deputados, em Brasília, são dignas desse reconhecimento”.

O que pesam os colegas de Platiny

Você concorda com a homenagem?

Bosco Sairava (PSDB): “Apesar de não compartilhar das ideias do Bolsonaro,  quedo-me ao exercício completo do estado de direito”

Luiz Castro (Rede): “Acho  completamente equivocada. Sou contra e lamento muito essa decisão do deputado Platiny”

David Almeida (PSD): “Sou favorável. Essa é uma escolha pessoal. Bolsonaro defende os mesmos valores defendidos por Platiny”

Alessandra Campelo (PCdoB): “Eu não posso deixa de me indignar com essa proposta. Bolsonaro incita o preconceito, o ódio, a homofobia”

Vicente Lopes (PMDB): “Normal. Bolsonaro é um parlamentar de destaque nacional por suas opiniões. Respeito a indicação do Platiny”

José Ricardo (PT): “O Bolsonaro não merece receber tão valorosa honraria. Essa comenda envergonha o Amazonas”

Francisco Souza (PSC): “Não tenho objeção à comenda que será entregue ao Bolsonaro, no entanto, reconheço que ele possuí posições polêmicas e duras.

As frases mais polêmicas de Jair Bolsonaro

 “O erro da ditadura foi torturar e não matar.” (Jair Bolsonaro, em discussão com manifestantes);

"Seria incapaz de amar um filho homossexual. Prefiro que um filho meu morra num acidente do que apareça com um bigodudo por aí.” (Jair Bolsonaro em entrevista sobre homossexualidade na revista Playboy);

“Não te estupro porque você não merece.” (Jair Messias Bolsonaro, para a deputada federal Maria do Rosário);

“Não vou combater nem discriminar, mas, se eu ver dois homens se beijando na rua, vou bater.” (afirmação de Jair Bolsonaro após caçoar de FHC sobre este segurar uma bandeira com as cores do arco-íris);

“Você é uma idiota. Você é uma analfabeta. Está censurada!”. (Declaração irritada de Jair Bolsonaro ao ser entrevistado pela repórter Manuela Borges, da Rede TV. A jornalista decidiu processar o deputado após os ataques);

 “Parlamentar não deve andar de ônibus”. (Declaração publicada pelo jornal O Dia em 2013);

“Mulher deve ganhar salário menor porque engravida” (Bolsonaro justificou a frase: “quando ela voltar [da licença-maternidade], vai ter mais um mês de férias, ou seja, trabalhou cinco meses em um ano”);

 “Eu não corro esse risco, meus filhos foram muito bem educados” (Bolsonaro para Preta Gil, sobre o que faria se seus filhos se relacionassem com uma mulher negra ou com homossexuais);

Publicidade
Publicidade