Publicidade
Cotidiano
Inquérito

Ex-mininstro Alfredo Nascimento vira alvo de investigação do Supremo Tribunal Federal

Informação divulgada pela Folha de São Paulo afirma que indícios de irregularidades em licitações são o motivo 16/11/2015 às 13:25 - Atualizado em 25/02/2016 às 18:54
Show img0008428625
Ex-ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento virou alvo de inquérito no STF que vai investigar irregularidades na pasta durante a gestão dele (Antônio Lima)
Redação

Afastado do Ministério dos Transportes na chamada “faxina” que marcou o início do primeiro mandato da presidente Dilma Rousseff, o deputado Alfredo Nascimento (PR-AM) virou alvo de inquérito no STF (Supremo Tribunal Federal) que vai investigar irregularidades durante sua passagem pela pasta.

O ministro do STF Luiz Edson Fachin atendeu, a pedido da Procuradoria-Geral da República, e autorizou a abertura de investigação para apurar a contratação de duas empresas que são apontadas como fantasmas. Elas teriam contratos com o DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) e a Valec (estatal federal que cuida de ferrovias).

Segundo a Procuradoria, “há notícias de que o desvio de recursos públicos e as fraudes a licitações no âmbito do Ministério dos Transporte e órgãos a ele ligados, como o DNIT e a Valec, eram permitidos em troca de pagamento de propina a dirigentes e integrantes do PR”, presidido pelo deputado.

Alfredo Nascimento foi ministro dos Transportes nos governo Lula e Dilma. Ele deixou o cargo em 2011, ao lado de outros integrantes da cúpula do PR na pasta, depois da crise no setor, quando surgiram suspeita do esquema de superfaturamento em obras envolvendo servidores da pasta. O afastamento dos nomes ligados ao PR durou alguns anos, até integrantes do partido serem restabelecidos no setor diante de crises que abalaram a relação de Dilma com a base no Congresso.

Suspeitas

Segundo a Procuradoria, há indícios de que as empresas Alvorada Comercial e Serviços Ltda. e TechMix seriam meramente “de fachada”, muito embora tenham sido contratadas para fornecer mão de obra em áreas estratégicas. Em relação à Tech Mix, o Ministério Público argumenta que a modalidade de contratação (pregão eletrônico) foi inadequada e que “a empresa teria apresentado um atestado de capacidade técnica falso na fase de classificação e fornecido uma carta fiança irregular”. Outro ponto é que “parte dos empregados contratados (...) não atendiam os requisitos exigidos no edital”.

A segunda suspeita é de que a empresa Alvorada foi contratada com dispensa de licitação e de conluio entre as empresas que participaram do certame, pois uma mesma pessoa figura como sócio das duas.

Deputado nega

O deputado nega ligações com esquemas de corrupção nos Transportes. A Folha não localizou o congressista neste domingo para comentar a abertura de inquérito. Outros dois inquéritos envolvendo Alfredo Nascimento por suspeita de irregularidades nos Transportes já foram arquivados no STF por falta de provas.

Em 2013, então senador, Alfredo Nascimento usou a tribuna do Senado para comemorar o que chamou de fim das investigações de um dos casos pela Procuradoria que envolviam seu nome.

Político se mostra desmotivado

Durante a posse do ex-deputado Marcelo Ramos como presidente municipal do PR, em 1º de novembro, o deputado federal Alfredo Nascimento (PR) adotou um discurso de quem se despedirá em breve da política.

Alfredo iniciou sua fala, na cerimônia, afirmando ser de “uma geração de políticos que, infelizmente, junto à sociedade, representa uma atividade desmoralizada”.

O único prefeito de Manaus a conseguir se reeleger, Alfredo garante que ainda tem capital eleitoral até para voltar à prefeitura. Mas falta-lhe ânimo para tentar convencer a sociedade de que ele possa fazer algo diferente do que os políticos tradicionais têm feito.

“Hoje, os políticos, de um modo geral, a sociedade não respeita mais, e nós somos os culpados”, disse na época.

Publicidade
Publicidade