Publicidade
Cotidiano
investigações

"Ex-prefeito de Maués teve ajuda de aliados no saque de bens”, diz delegado

Bens da prefeitura já foram encontrados na casa do ex-prefeito, e nova gestão faz nova denúncia de desaparecimento de bens como embarcações, chocadeiras e computadores 16/01/2017 às 18:06 - Atualizado em 16/01/2017 às 18:48
Show ambulancha abandonada foto m.rocha
Prefeitura afirma que 'ambulanchas', usadas no atendimento de saúde, estão desaparecidas (Foto: Divulgação)
Amanda Guimarães Manaus (AM)

“Temos a impressão que o ex-prefeito recebeu ajuda de aliados no saque dos bens”. A declaração é do titular da Delegacia de Polícia Interativa do Município de Maués, Rafael Schimidt, sobre o andamento das  investigações de bens levados da Prefeitura do município, que estavam desaparecidos e foram aprendidos durante busca e apreensão em propriedades do ex-titular, Carlos Goes, no último dia doze. Nesta segunda-feira (16), a própria Prefeitura protocolou, na Delegacia Civil, nova solicitação com indícios de outros destinos e endereços de materiais extraviados.

Conforme o delegado Schimidt, o pedido de busca e apreensão protocolado pela Procuradoria Geral do Município, nesta segunda-feira, pode confirmar as investigações da Polícia a respeito do envolvimento de aliados partidários do ex-prefeito no desaparecimento dos bens.

“Ainda não chegou nas minhas mãos o pedido de busca e apreensão da Prefeitura, mas sei que foi protocolado na Delegacia. Estamos tomando as medidas necessárias para terminar os estudos da nossa ultima ação, mas agora vamos ver esse indício. Queremos encontrar outros bens desaparecidos, pois foram usados dois caminhões na retirada. O prefeito contou com ajuda de aliados para saquear a Prefeitura. Só isso que podemos falar até agora”, destacou o delegado.

Ao ser questionado de quando serão realizadas as atividades de busca e apreensão após as novas informações cotadas no documento protocolado pelo município, o delegado destacou que não pode falar de data ou horário, para não atrapalhar as investigações.

“Na última quinta-feira, na ação realização em propriedades do ex-prefeito, foram apreendidos muitos materiais pertencentes à Prefeitura, como TVs, computadores e ar-condicionado. Não posso dizer quando essa nova ação vai ser realizada, apenas posso dizer que vamos aceitar este pedido da Prefeitura. Queremos chegar nos envolvidos e vamos fazer isso”, disse.  

Outras suspeitas

Conforme a assessoria de imprensa do município, as estimativas iniciais apontam que R$ 1 milhão em equipamentos (computadores, aparelhos de ar-condicionado, móveis e até pratos e talheres) estão desaparecidos somente na área da educação. “No depósito da secretaria não encontramos uma resma de papel, apenas cinco caixas de giz e seis cadernos”, afirmou o titular da pasta, João Libânio.

Na saúde, segundo a Prefeitura, Maués tem apenas uma ambulância em condições de fazer o atendimento na zona urbana. “As demais estão paradas porque desapareceram os motores, equipamentos e até os pneus”, afirmou o secretário Ildnav Trajano, ao acrescentar que embarcações (ambulanchas) e 11 motores de popa utilizados para fazer o atendimento das comunidades rurais também estão desaparecidos.

Na Secretaria de Produção Rural, estão desaparecidos bens como uma chocadeira de ovos com capacidade para abrigar seis mil crias. “Parte do patrimônio público foi entregue para outras pessoas e outra parte não tem condições de uso ou não sabemos o paradeiro como tratores, aparelhos de GPS, voadeiras e motores”, disse o secretário Luis Carlos Dinelli.

Bens públicos 

A investigação do desaparecimento dos bens foi comandada pelo próprio delegado Rafael Schimidt,. Durante as ações, concluiu-se que os bens foram retirados das repartições públicas nas duas últimas semanas de dezembro de 2016.

O pedido de instauração de inquérito foi feito no dia 10 de janeiro, pela Procuradoria-Geral do município, em virtude do sumiço de computadores, impressoras, aparelhos de ar-condicionado e máquinas da prefeitura.  

Sem resposta

A reportagem procurou a assessoria do ex-prefeito Carlos Goes, que prometeu um posicionamento até as 17h30 desta segunda-feira. Até as 19h, porém, nenhuma resposta foi enviada. 

Publicidade
Publicidade