Publicidade
Cotidiano
Projeto

Ex-SMTU, Pedro Carvalho afirma que seria uma honra planejar o BRT

A Prefeitura de Manaus entregou um anteprojeto para a implementação do Bus Rapid Transit (BRT) ao Ministério das Cidades, orçado em R$ 1,5 bilhão. A informação é do ex-SMTU, Pedro Carvalho. 13/09/2016 às 21:40 - Atualizado em 14/09/2016 às 08:19
Show show 1
‘Soldado da Prefeitura’ como ele mesmo se define, Carvalho não confirmou que sua saída da pasta tenha sido para se dedicar exclusivamente ao projeto do BRT, mas afirmou que ‘seria uma honra’.
Janaína Andrade Manaus

A Prefeitura de Manaus entregou um anteprojeto para a implementação do Bus Rapid Transit (BRT) ao Ministério das Cidades, orçado em R$ 1,5 bilhão, sendo R$ 1,2 bilhão para infraestrutura e R$ 330 milhões para desapropriações. A informação é do ex-superintendente Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), Pedro Carvalho. ‘Soldado da Prefeitura’ como ele mesmo se define, Carvalho não confirmou que sua saída da pasta tenha sido em razão de ter que se dedicar exclusivamente ao projeto do BRT, mas afirmou que ‘seria uma honra’.

Pedro Carvalho é o autor de programas como a Faixa Azul e o T2 transformado em Estação de Conexão, projetos esses criticados pelos adversários do prefeito Artur Neto (PSDB) na eleição deste ano. Na sexta-feira, 9, Carvalho foi exonerado do cargo. 

“Eu sou agora secretário executivo do Conselho Gestor. Há duas semanas nós entregamos uma carta consulta ao Ministério das Cidades, que é um anteprojeto do BRT, mas aí não sei como isso será tratado, o prefeito é quem vai decidir. Ele (Artur) não falou comigo especificamente sobre isso, mas seria um prazer, uma honra, porque o BRT é realmente a solução para o transporte de Manaus e isso requer investimento, um bom projeto. Eu sou funcionário da Prefeitura e estou à disposição para colaborar”, declarou.

Membros do governo tucano disseram que a retirada de Pedro Carvalho da SMTU foi para se dedicar a elaboração do projeto do BRT, mas o ex-superintendente desconversa. “O Governo Temer já se mostrou mais aberto em relação ao nosso projeto, tanto que fomos recebidos no Ministério das Cidades, então agora é trabalhar para entregar o projeto”, avaliou.

A carta consulta é a primeira fase do projeto, de acordo com o ex-superintendente, em seguida é encaminhado o projeto básico (que inclui a parte funcional) e por fim o projeto executivo. “O importante é ter um projeto pronto. Se neste instante nós não conseguirmos o valor total, só parte dele, é passar a definir prioridades antes da implantação do BRT, como a construção do T6”, afirmou.

O Terminal 6, segundo Carvalho, seria localizado na zona Norte de Manaus, próximo ao Café da Joelza, na Torquato Tapajós. “O T6 seria um terminal maior se comparado aos outros, que custam em média R$15 milhões para serem construídos. O T6 teria estacionamento para aquelas pessoas que quisessem deixar o carro e pegar o ônibus ali, farmácias, e custaria cerca de R$ 35 milhões. Ele é um terminal essencial para a região norte”, disse.
Questionado sobre as razões que levaram o prefeito a exonerá-lo do cargo, Pedro Carvalho, foge do assunto, mas afirma que não pediu para sair, foi retirado.

Tempo no cargo

O ex-superintendente Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), Pedro Carvalho, estava a frente da pasta desde 1° de janeiro de 2013. Agora ele foi nomeado pelo prefeito Artur Neto, como secretário-geral do Conselho Municipal de Gestão Estratégica, unidade vinculada a estrutura organizacional da Casa Civil.

Frases - Pedro Carvalho

“O sistema (de transporte) que está aí, já venceu. Precisamos avançar, precisamos usar essas tecnologias”

“Sou funcionário da Prefeitura. Sou um soldado e seria uma honra participar desse projeto, mas isso é algo que envolve a Prefeitura, as Universidades, Conselhos e a sociedade ”

“Eu não queria falar sobre isso (exoneração). Eu fui deslocado, mas prefiro não falar. O nosso chefe (Artur Neto) é quem decide. Estou a postos”


 

Publicidade
Publicidade