Domingo, 08 de Dezembro de 2019
Notícias

Exame consegue detectar histoplasmose em quatro horas

Trabalho desenvolvido por pesquisador do Inpa, em Manaus, resultou em exame que detecta doença de forma mais rápida 



1.jpg João Vicente explica que novo tipo de exame facilita diagnóstico de doença que aflige portadores de doenças imunológicas
29/12/2015 às 20:06

O laboratório de Micologia do Instituto Nacional de Pesquisas do Amazonas (Inpa) é o primeiro do mundo a desenvolver uma sonda molecular para aplicação em hibridização in situ fluorescente (Fish, na sigla em inglês) com o objetivo de obter o diagnóstico rápido - em até quatro horas - da histoplasmose, uma infecção grave que se manifesta, principalmente, em indivíduos imunocomprometidos, como os pacientes com Aids/HIV. No exame tradicional, o resultado do diagnóstico da doença demora até 25 dias.

A histoplasmose é uma doença causada pelo fungo Histoplasma capsulatum, presente nas fezes de morcegos e aves, como pássaros e pombos. O contágio ocorre pela inalação desse material suspenso no ar. Os sintomas variam desde uma infecção assintomática até febre, dor de cabeça, dor torácica, tosse, fraqueza, falta de ar e de apetite. O organismo da maioria das pessoas combate o fungo sem precisar de tratamento, dependendo do estado de saúde do indivíduo. Em outros casos, a doença oportunista pode levar à morte do paciente. 



De acordo com o pesquisador do Inpa e doutor em biotecnologia industrial João Vicente Braga de Souza, a ferramenta veio para agilizar o diagnóstico da doença, que é a segunda causa de mortes em Manaus nos pacientes imunocomprometidos, indivíduos com reduzida atividade do sistema imunológico.  Segundo Braga, são registrados cerca de 20 a 30 mortes por ano.

Exame atual

O diagnóstico microbiológico tradicional é baseado na avaliação microscópica de fluidos e tecidos, técnicas sorológicas e culturas, incluindo hemoculturas. Conforme Braga, a hemocultura é um método inespecífico para determinar a presença de patógenos em amostras clínicas. O diagnóstico normalmente é realizado pela leitura contínua em sistemas automatizados que detectam o crescimento de microrganismos.

Se as amostras forem positivas é necessário ainda exames posteriores para identificar o organismo presente na amostra. Para isso, é realizado um exame de coloração de Gram buscando identificar bactérias seguido por subculturas em ágares para identificação de fungos, no caso o histoplasma capsulatu.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.