Publicidade
Cotidiano
sem stress

Exercícios e passeios diante da natureza ganham adeptos em Manaus

Moradores de áreas cercadas por espaços verdes buscam aproveitá-los, mas pedem melhorias 04/09/2016 às 15:44
Show mindu1
Adeptos da caminhada quase todos os dias estão perto da natureza / Foto: Evandro Seixas
Náferson Cruz Manaus (AM)

Praticar exercícios como caminhar, andar de bicicleta, skate e outras modalidades esportivas são as formas mais simples para  espairecer depois de um dia intenso de estudos ou de trabalho. Além de trazer benefícios ao corpo, já que consiste em uma atividade física leve, caminhar ao ar livre, principalmente junto à natureza, é também uma “importante saída para aliviar a ansiedade, o nervosismo e outros incômodos provocados pela tensão do dia a dia”. Como destaca o empresário João Bosco, de 54 anos.

Adepto da caminhada, quase todos os dias no final da tarde, o empresário se faz presente no Passeio do Mindu, no bairro Parque Dez, na Zona Centro-Sul. Ele garante, que mesmo diante dos mau cheiro provocado pelo despejo de esgoto no igarapé do Mindu, a atividade esportiva é prazerosa, diante da natureza que o acompanha durante seus execícios. 

“É muito agradável você fazer parte de um  ambiente familiar e estar bem próximo da natureza”, comentou. João Bosco lembra que chegou a tomar banho no igarapé do Mindu, mas com o passar dos anos, a água se tornou proibida e imprópria para a balneabilidade. “Como o homem causou danos, agora temos que apenas ficar de longe e admirar a correnteza da água e os animais como o jacaré, que de vez em quando aparecem para torna o ambiente mais natural”, destacou o empresário.  

O estudante Magno Galdino, 15 anos, morador do conjunto Adrianópolis, Zona Centro-Sul, conta que duas vezes na semana vai ao Passeio do Mindu, andar de skate. “É muito bacana porque durante o percurso há possibilidade de  avistarmos pássaros e outros animais, sem contar a segurança e equipamentos para a pratica de exercício no local”, comentou.

Para o advogado Sandro Rodrigues, 36 anos, adepto da caminhada e do ciclismo, “praticar exercícios  contemplando a natureza é mais atrativo e proporciona tranquilidade”.

O aposentado Orleir Andrade, 66 anos, morador do bairro Parque Dez, há mais de 50 anos, diz que o que foi feito no local é muito bom, mas é preciso dar mais atenção à fauna e à flora do local, que em sua opinião está desassistida. “A estrutura que colocam aqui no Passeio do Mindu é louvável, mas de que adiante fazer tudo isso se o igarapé está poluído e sua margem está tomada por mato, quando poderia ser mais agradável?”, questinou o aposentado.

Nas ‘Torres’   poderia ser melhor

Enquanto os praticantes de exercícios físicos no Passeio do Mindu  estão satisfeitos  com a estrutura do local, mas se sentem desconfortáveis por conta do mau cheiro do local, caminhar na avenida das Torres se tornou um desafio. É comum ouvir relatos da falta de segurança no local, principalmente à noite, pois em alguns trechos da via fica completamente às escuras. 

O universitário Athaíde  de Souza, 29, conta que caminha quase todos os dias na avenida das Torres, mas nos últimos dois meses passou a praticar o exercício no final da tarde. “Caminhava à noite, mas está muito perigoso, agora estou me exercitando à tarde é bem melhor, só não é mais, por conta do matagal que toma conta do meio fio ao longo de toda a extensão da avenida”, disse Athaíde, ressaltando que, poderia ser melhor em função das árvores que proporcionam sombra. 
 

Publicidade
Publicidade