Publicidade
Cotidiano
Notícias

Exonerado há uma semana da Seai, Thomaz Vasconcelos ainda tem benefícios garantidos

A indefinição sobre a nova função de Thomaz, que está à disposição da SSP, não impede que ele continue recebendo o salário que recebia quando era secretário-executivo adjunto de Inteligência do Estado 25/09/2014 às 10:41
Show 1
Thomaz Vasconcelos foi exonerado, mas deve continuar recebendo salário e ainda terá direito a uma aposentadoria vitalícia
Jornal A Crítica Manaus-AM

Sete dias depois de ser exonerado da função de secretário-executivo de Inteligência do Estado, Thomaz de Vasconcelos Dias, está à disposição da Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP), mas ainda não foi lotado em nenhuma unidade policial ou de investigação, segundo informou nesta quarta-feira (24) o titular da SSP, Paulo Roberto Vital.

A indefinição sobre a nova função de Thomaz, no entanto, não impede que ele continue recebendo o salário que recebia quando era secretário-executivo adjunto de Inteligência. Ele também não perdeu o direito à segurança pessoal, uma vez que terá, à disposição, três policiais civis ou militares, pelo período de um ano. Os benefícios são garantidos pela Lei Ordinária 3.281/2008, que instituiu o Fundo de Reserva para Ações de Inteligência. Ainda de acordo com a lei, depois de exonerado do cargo, o ex-secretário-executivo adjunto de Inteligência só poderá exercer cargos de provimento em comissão do sistema de Segurança Pública.

O secretário Paulo Roberto Vital informou que, até ontem, ainda não tinha tido acesso ao ato de exoneração do ex-secretário. “Ele está à disposição da DG, mas também pode estar de férias, não tenho certeza”, disse.

Na manhã de ontem, boatos davam conta que Thomaz estava à disposição do Gabinete Civil, porém, a informação foi descartada pelo titular da pasta, Raul Zaidan. O chefe da Casa Civil disse que Thomaz estava à disposição da Secretaria de Segurança Pública (SSP), em cumprimento à Lei 3.281/2008, que, no artigo 5º, determina que o titular do cargo de secretário-executivo adjunto de Inteligência, quando exonerado, “ficará automaticamente em disponibilidade, garantidas as vantagens pecuniárias do cargo efetivo e a representação do cargo comissionado, para fins de garantir a sua integridade física”.

‘Imperador’

Thomaz Vasconcelos ficou à frente da Seai por quase dez anos e comandava um grupo formado pelos delegados Mário Paulo e Tâmara Maciel, e investigadores. Ele foi dispensado da função após várias ocorrências de roubos e assaltos na cidade, entre eles o assalto à agência do banco Itaú da avenida Brasil, localizado entre a sede do Governo do Estado e a Prefeitura, no bairro da Compensa, Zona Oeste.

Thomaz foi exonerado pelo governador José Melo, que o chamou de “imperador” e nomeou para a função dele o ex-procurador-geral de Justiça Francisco Cruz.

O delegado-geral da Polícia Civil, Josué Rocha, e delegado-geral adjunto, Mário Aufiero, foram procurados, mas não atenderam ao telefone. A assessoria de imprensa da Polícia Civil foi acionada, mas não deu nenhuma resposta sobre o caso.

Publicidade
Publicidade