Publicidade
Cotidiano
Notícias

Fábio Monteiro, novo Procurador-Geral do Estado, promete priorizar as promotorias

O promotor, em entrevista ao JORNAL A CRÍTICA, revelou quem fará parte da equipe responsável por comandar o MP-AM nos próximos dois anos de mandato 12/10/2014 às 13:42
Show 1
Fábio Monteiro (na foto) foi quem recebeu mais votos na eleição interna
Janaína Andrade Manaus (AM)

Responsável pelo comando do Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM) a partir de terça-feira, o promotor de Justiça, Fábio Monteiro, voltou a enfatizar que assumindo a direção do órgão terá como prioridade a estruturação das promotorias do interior e da capital, e não a construção da nova sede do MP, orçada em R$ 193 milhões.

O promotor, em entrevista ao JORNAL A CRÍTICA, revelou quem fará parte da equipe responsável por comandar o MP-AM nos próximos dois anos de mandato. A partir do dia 14 o responsável por chefiar a Subprocuradoria Administrativa será o promotor Jeferson Neves de Carvalho, a Jurídica será o procurador Pedro Bezerra, a Secretaria Geral será comandada pela promotora Leda Mara Albuquerque. O promotor deixa a coordenadoria do Centro de Apoio Operacional de Inteligência, Investigação e Combate ao Crime-Organizado (Cao-Crimo), onde está desde 2011, sob o controle do promotor Lauro Tavares. 

“Do ponto de vista institucional a primeira medida será de otimizar, estruturar e melhorar as promotorias do interior do Estado. E irei investir, também, em todas as coordenadorias na questão do compartilhamento de dados, pois precisamos de mais tecnologia e material humano. Na verdade, por exemplo, não basta apenas o Cao-Crimo receber investimento se as outras coordenadorias não possuem estrutura para acompanhar o trabalho”, adiantou Monteiro.

Fábio Monteiro disse ter plena convicção de que a missão que o espera é árdua, mas assume que sempre almejou o posto de chefe do Ministério Público Estadual. “Não será fácil, pois as responsabilidades são imensas. Mas eu sempre almejei, tenho esse propósito, já há muitos anos, e não por uma questão de vaidade pessoal, mas sim porque eu acredito que eu posso contribuir muito para a nossa instituição. Então, a experiência que adquiri ao longo dos tempos me possibilitou conhecer o MP. É um desafio, mas, com certeza, é de uma gratificação tremenda. Porque tenho consciência da responsabilidade”, garantiu.

Outra prioridade da nova chefia do MP é dar mais proteção aos promotores que comandam ações polêmicas. “A segurança institucional deverá ser aprimorada. O MP cresceu bastante, e com certeza atua de forma mais maciça e incisiva no combate à criminalidade organizada. O promotor precisa se sentir acolhido e protegido, pois ele não age em nome próprio. Ele é o MP 24 horas, e o chefe do MP tem o dever de zelar por tudo isso”, afirmou.

Promotor foi o mais votado na eleição interna

O promotor Fábio Monteiro  foi o primeiro colocado na lista tríplice formada  durante a eleição realizada no dia 12 de setembro, na sede do MP-AM, com 72 votos. Três dias depois, foi escolhido pelo governador  José Melo como novo Procurador-Geral de Justiça. Para assumir a nova função, o promotor deixa a coordenadoria do Cao-Crimo. “Ter sido o mais votado é algo que para mim é uma satisfação imensa. Mas também nos dá noção da responsabilidade que nós temos de atender as pessoas que acreditaram no nosso projeto. Sem sombras de dúvidas, é um desafio, mas é um desafio que nós vamos vencer”, disse o promotor.

‘O papel do MP é fazer cumprir a lei’ 

Questionado sobre o porquê da classe política, com frequência, criticar a atuação do Ministério Público do Estado (MPE-AM), o promotor Fábio Monteiro respondeu que a entidade “não existe para agradar as pessoas que praticam condutas erradas”.

“Agora, as pessoas que são sérias, as pessoas que são probas, as pessoas que são cumpridoras da lei, têm o dever de adorar o MP. Por quê? Porque o papel do MP é fazer com que a lei seja aplicada e respeitada. E respondendo: os políticos vão ficar mais felizes, pois irão continuar a ter dentro do MP um procurador-geral que é preocupado em fazer com que as leis sejam cumpridas. Aqueles que descumprem as leis devem ficar descontentes com o MP? Com certeza. Eles devem ficar bem descontentes porque terão bastante trabalho”, disse Monteiro.

O promotor promete que irá lidar com ações que atinjam, por exemplo, o Governo do Estado e a Prefeitura de Manaus, da mesma maneira que lida com “ações que atinjam a dona Maria da feira da Panair”. “Não há distinção, a lei é igual para todo mundo”, garantiu o futuro procurador-geral de Justiça.

Publicidade
Publicidade