Publicidade
Cotidiano
DESUNIÃO

'Falta de confiabilidade' rompe possível aliança entre partidos de esquerda

Representantes do PCB, Psol e Rede Sustentabilidade descartam marcharem juntos com PCdoB e PT para a prefeitura de Manaus. "Não estamos dispostos", disse presidente do PCB no Amazonas, Luiz Navarro 12/06/2016 às 15:11 - Atualizado em 13/06/2016 às 09:29
Show luiz navarro
Navarro: “O PT e o PCdoB não ouviram ninguém e fizeram aliança com a direita” (Foto: Lucas Silva)
Aristide Furtado Manaus (AM)

Representantes do PCB, Psol e Rede descartam qualquer possibilidade de marcharem juntos com o PCdoB e PT numa frente ampla de esquerda na eleição para prefeitura de Manaus. A proposta de lançamento de um candidato de consenso foi anunciada na quinta-feira pelo presidente estadual do PCdoB, o ex-deputado Eron Bezerra. 

Para Luiz Navarro, presidente do PCB no Amazonas, essa aliança é muito difícil de acontecer por falta de confiança dos demais partidos em relação ao PT e ao PCdoB. “Não acreditamos que se concretize. Falta de confiabilidade entre seus membros. O PT e o PCdoB, durante o tempo que estiveram o no governo federal, levaram as coisas sem ouvir ninguém, fizeram  aliança com a direita, e agora vem querer fazer uma aliança com a gente. Não estamos dispostos”, disse o comunista. 

Pré-candidato à sucessão de Artur Neto (PSDB), Navarro lembra que a sigla rompeu com o governo Lula ainda no  primeiro ano de mandato do petista. “O PCB rompeu com o Lula quando percebeu que o Lula caminhava a passos largos com a direita. Nós do Partido Comunista queremos fazer a revolução socialista e não somar com a direita. E o PT e o PCdoB caminharam provendo ações prejudiciais ao trabalhador.  A Dilma antes de ganhar a eleição disse que não mexeria nos direitos do trabalhador e mexeu. A aliança é quase impossível. Não ouviam a esquerda. Faziam aliança com gato, cachorro e rato”, disse.  

A ideia do PCB, segundo Navarro, é somar forças com o Psol e o PSTU. “Talvez eu não venha como majoritário porque alguém vai ter que ceder para haver a união. Nós deveremos ceder para que saia a coligação. Estamos dispostos a fazer isso. Embora saibamos que nosso nome é mais conhecido e bem posicionado. Mas ninguém pode colocar coisa na cabeça dos outros sem que eles queiram. O PCB esta discutindo com o PSOL uma possível coligação para que possamos sair juntos nesta eleição”, explicou. 

Um dos porta vozes da Rede, em Manaus, Rodrigo Araújo, afirmou que a legenda já se reuniu e decidiu que não há condições de se coligarem com o PCdoB e o PT na campanha municipal por conta das alianças que esses partidos fizeram com caciques da política local.

“A gente analisou  analisou o cenário nacional. Achamos que o PCdoB  e o PT não se alinham com uma frente de esquerda se estão historicamente ligados ao PMDB e a ao senador  Eduardo Braga. Hoje nacionalmente estão em capôs opostos mas vão se manter em vários municípios”, afirmou o representante da sigla. . 

De acordo com Rodrigo Araújo, a tendência do partido que participará de sua primeira disputa eleitoral depois de obter o registro no TSE, no ano passado, é dialogar com o Psol e com o PCB.

“A gente tem um pré-candidato que é o Junior Brasil. Vamos conversar com os possíveis aliados e decidir coletivamente quem serão esses candidatos  majoritário e proporcional. A Rede não vê legitimidade do PCdo B e PT em se denominarem de esquerda dada a proximidade com velhos caciques. A gente tem respeito pelo deputado José Ricardo (pré-candidato do PT), à pessoa e ao mandato dele, mas o partido não vê essa legitimidade de colocar como frente ampla de esquerda esses partidos”, disse. 

Presidente estadual do Psol, Marcos Queiroz, disse que a sigla não faz acordos com o PCdoB e nem com o PT. “Temos dialogo com a Rede e o PCB. Vamos lançar uma candidatura própria da esquerda consequente. Sou pré-candidato oficial do partido. O contexto pede uma candidatura do campo da verdadeira esquerda. Entendemos que é legitimo ele (Eron) pleitear uma candidatura. Mas representa um setor da esquerda que já abriu mão dos projetos da esquerda há algum tempo. Respeitamos eles, todavia o partido ate o mês passado estava junto com o bloco da velha política, como o  PMDB”, disse. 

Eron como pré-candidato

Na quinta-feira (9), o PCdoB apresentou o ex-deputado estadual e ex-secretário de Produção Rural do Estado Eron Bezerra como pré-candidato a prefeito de Manaus. Durante o evento, o comunista afirmou que está articulando com o PT, Psol, Rede e PCB a construção de uma coligação para lançamento de uma candidatura majoritária cujo cabeça da chapa seria definido coletivamente.  

Publicidade
Publicidade