Domingo, 15 de Dezembro de 2019
COBRANÇAS

Familiares dos desaparecidos do acidente do empurrador da Bertolini fazem protesto

A suspeita é que os nove corpos possam estar presos nos compartimentos do empurrador, que colidiu com o navio da empresa Mercosul Line, no dia 2 deste mês, no rio Amazonas



PROSTESTO.JPG Fotos: Divulgação
14/08/2017 às 21:47

Familiares e amigos dos nove desaparecidos do naufrágio resultante da colisão entre o empurrador CXX da Bertolini e o navio mercante Mercosul Santos  protestaram, nesta segunda-feira (14), em frente à sede do Ministério Público Federal (MPF), em Santarém (PA). Eles cobraram maior empenho das autoridades locais, bem como agilidade nas buscas e retirada do rebocador do fundo do rio Amazonas. A suspeita é que os corpos possam estar presos nos compartimentos do CXX, que  colidiu com o navio da empresa Mercosul Line, no dia 2 deste mês, no rio Amazonas, próximo ao município de Óbidos, no Pará.

Os familiares de Wandel Ferreira de Lima e Cleber Rodrigues Azevedo, os dois amazonenses que foram vítimas do acidente, voltaram de Santarém na última quarta-feira. Eles ficaram uma semana naquela cidade acompanhando as buscas. “Ainda estamos em choque porque não esperávamos que isso fosse acontecer. Agora só queremos que os nossos entes queridos sejam tirados do fundo”, disse o vigilante Catarino Ferreira de Lima, 34, irmão de Wandel.




Balsa do empurrador naufragado foi retirada do  casco do  Mercosul Santos, que seguiu em viagem para Manaus no domingo

O estudante Klisma Rodrigues, 20, sobrinho de Cléber, disse que a família continua muito abalada. A esposa de Cléber, que viajou a Santarém para acompanhar as buscas ainda não voltou a Manaus. Está em Itacoatiara com os familiares. “É uma situação muito complicada, mas todos estão bem na medida do possível”.

A Bertolini informou que deve apresentar em breve posicionamento definitivo acerca do içamento do empurrador CXX. O gerente corporativo jurídico da empresa, Marcelo Schroder, pediu hoje compreensão dos familiares das vítimas desaparecidas e garantiu que tudo o que é possível está sendo feito.

De acordo com Schroder, hoje a equipe passou o dia inteiro tentando definir o plano de salvatagem (regaste) do empurrador, que está a 63 metros de profundidade e distante mais de 15 quilômetros do local do acidente, vai continuar hoje e amanhã apresentará as informações de buscas dos desaparecidos, reflutuação da embarcação, entre outras, ao Corpo de Bombeiros Militar/Defesa Civil do Estado do Pará.

Navio segue em viagem para Manaus

No domingo, o navio Mercosul Santos seguiu viagem para Manaus. A saída da embarcação se deu após a retirada da balsa que estava presa ao casco do navio. A Marinha do Brasil informou que as buscas pelos desaparecidos continuam por meio de lanchas da Capitania Fluvial de Santarém e dos navios patrulha Bocaina e Hidroceanográfico Fluvial Rio Branco, com o apoio de mergulhadores do Corpo de Bombeiros e agentes dos órgãos de Segurança Pública.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.