Publicidade
Cotidiano
SAÚDE

FCecon pode se tornar Unidade de Assistência de Alta Complexidade

A mudança depende de alguns critérios e pré-requisitos estabelecidos pelo Ministério da Saúde, os quais já estão sendo estudados pela diretoria da unidade hospitalar para serem implantados 04/07/2017 às 12:37
Show 1022919
(Foto: Antonio Lima/Arquivo AC)
acritica.com Manaus (AM)

A Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), unidade de referência em cancerologia na Amazônia Ocidental, poderá passar de uma Unidade de Assistência de Alta Complexidade (Unacon), para um Centro de Alta Complexidade em Oncologia (Cacon), ganhando um status diferenciado na área e garantindo mais recursos públicos federais para a assistência em saúde na região.

A mudança depende de alguns critérios e pré-requisitos estabelecidos pelo Ministério da Saúde (MS), os quais já estão sendo estudados pela diretoria da unidade hospitalar para serem implantados, informou o diretor-presidente da Fundação, cirurgião oncológico Marco Antônio Ricci. Em visita à instituição, na última semana, a deputada federal Conceição Sampaio (PP), se comprometeu em ajudar, através de uma articulação em Brasília, a alcançar esse objetivo.

Atualmente, a FCecon atua como o hospital polo para o tratamento do câncer na região Norte, atendendo pacientes de estados como o Pará, Rondônia, Roraima, e até de países fronteiriços, com procedimentos cirúrgicos de média e alta complexidades, radioterapia, quimioterapia, entre outros. Atualmente, os recursos destinados à manutenção da Fundação, vêm de convênios, do Governo Federal e do Governo Estadual – este último responsável por repassar a maior parte do orçamento.

A deputada Conceição Sampaio visitou a fundação para verificar o andamento dos serviços e atividades desenvolvidas pela unidade. Durante o mandato, a parlamentar já destinou mais de R$ 2 milhões em recursos para a Fundação, por meio de emendas parlamentares e articulações junto ao Ministério da Saúde. Umas das emendas teve como finalidade a aquisição de 10,5 mil kits para exames de citologia em meio líquido, método de análise de material coletado durante os exames preventivos, que pode identificar eventuais lesões pré-cancerosas no colo uterino.

“Os kits para a citologia em meio ajudam a combater o câncer de colo uterino, o mais incidente entre as amazonenses. Essa questão foi levantada pela médica ginecologista da FCecon, Mônica Bandeira de Melo. Tanto é que nós já realizamos uma audiência pública, em Brasília, e já discutimos essa questão também”, concluiu a deputada federal.

*Com informações da assessoria de comunicação.

Publicidade
Publicidade