Quinta-feira, 18 de Julho de 2019
Notícias

FDN articulava fuga em massa do Compaj por túnel para recuperar status, após prisão de 'chefões'

De acordo com o serviço de inteligência, os presos pretendiam desestabilizar o sistema penitenciário e provocar a queda do atual secretário



1.jpg Secretário da Seap, Pedro Florêncio a (à dir) observa o túnel
04/03/2016 às 19:46

“Eles (os presos) são da FDN (Família do Norte), eu sou do Senhor e Ele sempre vai me dar vitória”. A frase é do secretário da Secretaria Estado de Administração Penitenciária (Seap), Pedro Florêncio, ao descobrir mais um túnel no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), no km 8 da BR-174, o segundo em 35 dias.

De acordo com o serviço de inteligência, os presos pretendiam fazer uma fuga em massa para desestabilizar o sistema penitenciário e provocar a queda do atual secretário. “Foi Deus quem me colocou aqui e só vou sair quando Ele quiser”, disse Pedro Florêncio.

O túnel, localizado ontem (4), começava no pavilhão “C” do regime semiaberto e ia sair no pavilhão 1 do regime fechado, onde estão os presos condenados e de alta periculosidade. A informação conseguida pela inteligência é que a ordem para uma fuga em massa é do comando da FDN que estão tentando retomar o status que tinha antes.

A Seap iniciou uma revista no regime semiaberto. Na ação, os agentes da Seap e policiais militares do Comando de Policiamento Especializado (CPE) encontraram o túnel. Durante o procedimento, presos do regime semiaberto que tentavam esconder a área onde estava o túnel tentaram reagir contra os policiais.

Eles chegaram a encurralar as equipes no pavilhão. Um deles estava com uma pistola calibre ponto 40 de uso exclusivo das forças policiais. Os agentes e policiais reagiram e o interno José Inácio da Silva Souza foi ferido na parte posterior da coxa, próximo ao quadril, com um tiro. O interno recebeu atendimento médico no local e foi encaminhado para  um pronto-socorro.

De acordo com o secretário Pedro Florêncio, o procedimento de revista foi realizado com o objetivo de desarticular o plano. “Nós tínhamos informações de que o túnel estava sendo construído de fora para dentro do regime fechado” disse Pedro Florêncio.

De acordo com o secretário, foram desarticulados dois túneis no regime fechado que também seriam utilizados para fuga e agora os presos do regime semiaberto, com ordens de lá do comando, estavam fazendo uma nova saída.

A entrada do túnel estava escondida embaixo de uma caixa d'água no Pavilhão “C” do presídio, ao lado do muro do Compaj fechado. A Seap está trabalhando na escavação para determinar a profundidade e o tamanho da área.

O túnel encontrado no dia 28 de janeiro deste ano no regime fechado media mais de 20 metros e seria utilizado para possibilitar a fuga de pelo menos 300 detentos, mas foi descoberto Seap.

O túnel foi cavado em uma das celas do pavilhão 3 há pelo menos seis meses e seria uma “ordem” dos líderes da facção criminosa “Família do Norte” (FDN). A fuga em massa aconteceria neste no de semana. mas foi descoberto um dia antes.

Apreensão
Na avaliação dos agentes da Seap o túnel do semiaberto mede aproximadamente  15 metros de profundidade. Os presos usaram pá e enxadeco para cavar. A ferramenta foi apreendida, além da pistola e 41 carregadores de celular.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.