Publicidade
Cotidiano
Férias sim, dívidas não!

Especialistas ensinam como voltar das férias sem dívidas e coleções de faturas

Consultores financeiros dão dicas de como fazer um planejamento financeiro correto antes de viajar. Especialistas defendem que planejar a viagem com um ano de antecedência ajuda a não ter dor de cabeça nas finanças 15/01/2017 às 05:00
Show guilherme
Guilherme em uma das suas viagens a Minas Gerais, na cidade de Ouro Preto e sempre com planejamento financeiro. (Foto: Arquivo Pessoal)
Rebeca Mota Manaus (AM)

Começo de ano, verão e as tão desejadas férias. Na volta, além de fotos e lembranças, algumas pessoas ainda colecionam faturas de cartão de crédito e outras dívidas. Para mudar essa prática, confira as dicas de alguns especialistas, que ajudam a planejar melhor essa temporada.

Segundo o educador financeiro, Jeférson Praia, o ideal é se preparar com pelo menos um ano de antecedência. “Este  é o tempo necessário para definir o orçamento, a programação desejada e ainda começar uma poupança”, diz Praia.

O consultor financeiro do Espaço Meio, Edson Moraes, destaca que o segredo é o planejamento. “Um exemplo: se eu quero viajar em julho, tenho que definir algumas perguntas. Para onde enviou? Quantos dias vou ficar? Existem preços diferenciados em julho? É preciso pensar em todos os detalhes desde o transporte aéreo e terrestre, alimentação e os passeios”, orienta Moraes.

Defina um orçamento
O planejamento de uma viagem de férias requer o mínimo de antecedência. "Não é porque você não planejou antes que vai sair gastando sem controle", diz Praia. Avalie sua situação financeira e estipule um orçamento diário, que não deve ser ultrapassado. “O ideal é que as passagens aéreas e o hotel já estejam pagos quando chegar o dia da viagem”, conta Edson.

Outra ideia é fazer uma poupança. “Caso eu gaste R$ 4000, vou depositar 400 em 10 meses”, explica Moraes.Quanto aos preços dos locais, o consultor explica que é preciso comparar. “Tem que comparar o preço de restaurantes, hotéis, lugares de diversão para se economizar”, explica Praia.

Escolha destinos perto
Passagens aéreas pesam no orçamento e podem inviabilizar qualquer viagem. “Uma opção é reunir a família e pegar a estrada, de preferência para um local não muito distante, para economizar com pedágios e combustível”, salienta Jeferson.

Fique em casa 
Reúna a família e procure programas gratuitos em sua cidade, como ir ao parque, andar de bicicleta, fazer um piquenique. “Eu quando era mais novo e não tinha dinheiro para viajar, eu chamava a minha família e íamos aos parques de diversões aqui de Manaus, lá tem vários brinquedos e piscinas, coisas que as crianças gostam. Então a sugestão é viajar de ônibus e ir para os municípios de Manaus”, conta.

Cuidado com os cartões
“Tenha o controle do cartão de crédito, não compre com ele para economizar o dinheiro do bolso”, diz Praia. Já Edson explica que se caso ultrapassar os limites do cartão é necessário financiar com um banco, pois os juros do cartão são altíssimos

Eduque os filhos
“Faça uma educação financeira com os filhos, dê uma quantidade de dinheiro para cada um e quando eles quiserem algum brinquedo ou comprar qualquer outra coisa pergunte se eles têm a quantidade necessária, vão usar, vai valer a pena comprar”, reforça Edson.

O administrador, Guilherme Moraes, todo início do ano realiza sua tradicional viagem à casa dos parentes em Minas Gerais e Rio de Janeiro. Para ele, suas estratégias de economia são muito simples: o planejamento antecipado. “A organização começa no início do ano. Exemplo: caso o trabalhador ganha um mil reais, ele tem que guardar no mínimo 10% do salário na poupança. Caso vai viajar de avião, devemos comprar as passagens antes, em promoção e na classe simples”, diz.

Neste ano, como uma forma de economizar, viajou de carro de Manaus a Minas Gerais pela BR-319, juntou-se com três amigos, dividiram a cota da gasolina e chegaram com sucesso em Minas Gerais.

Outra economia importante é encontrar lugares em que moram parentes. “Eu sempre vou onde têm familiares ou que o hotel é barato. E se eu me hospedar na casa de parentes, ajudo com os custos necessários”, ressalta.

Publicidade
Publicidade