Publicidade
Cotidiano
Notícias

Flagra:na avenida Torquato Tapajós, motociclista burla a lei e adultera a placa

Em junho deste ano, a PC informou que das 98 motos apreendidas, durante a operação “Solimões Livre”, 48 eram roubadas ou possuíam placas clonadas 23/10/2015 às 20:05
Show 1
Em plena luz do dia e numa das avenidas de maior fluxo de veículos da cidade, dupla faz alterações na placa da moto
JORNAL A CRÍTICA Manaus (AM)

CONFIRA O VÍDEO

Dois homens foram flagrados em frente a uma revendedora de motocicletas localizada na avenida Torquato Tapajós, no sentido Centro-bairro, nas proximidades do conjunto Santos Dumont,  na Zona Centro-Sul da capital, enquanto faziam a adulteração da placa traseira de uma motocicleta com o uso de fitas isolantes.

A ação  foi registrada por meio de um  aparelho celular de um motorista que estava no interior do seu veículo. Nas imagens,  os suspeitos parecem agir com maior naturalidade, sem se intimidar com o movimento em frente à loja.

Enquanto, um  dos suspeitos, o carona da motocicleta marca Honda, modelo CG Bros, orienta, o comparsa dele, cola pedaços de fita isolante para confundir os numerais, sendo que a placa original é OAK-8497, e foi alterada para OAK-8487.

O ato ilegal dos suspeitos durou alguns segundos. Após a adulteração da placa, a dupla parte no sentido Centro-bairro. Suspeita-se que a dupla teria feito a adulteração para utilizar a motocicleta na prática de crimes, tais como: assaltos, tráfico de drogas e  homicídio  ou até mesmo,  para burlar a fiscalização do trânsito. 

Apreensão de motos

Em junho deste ano, a Polícia Civil informou que das 98 motos apreendidas, durante a operação “Solimões Livre”, 48 eram roubadas ou possuíam placas clonadas.

Na ação realizada em 13 municípios  que compõem a calha do rio Solimões, duas pessoas foram presas com motos roubadas e com porte ilegal de arma de fogo.

Os veículos apreendidos foram encaminhados ao parqueamento do Departamento Nacional do Trânsito no Amazonas (Detran-AM), no Puraquequara, Zona Leste. maior FiscalizaçãoNo último mês, durante o anúncio dos supostos indícios de irregularidades na licitação do mototaxistas, feito pela Promotoria de Justiça da 78ª seção do Ministério Público do Amazonas (MP-AM), o presidente da União Estadual dos Mototaxistas, Orlando Bindá, pediu mais rigor nas fiscalizações.

“Precisamos que os órgãos competentes iniciem a fiscalização de nossa categoria, havendo fiscalização da prefeitura e o combate aos mototaxistas clandestinos, haverá uma diminuição do número de assaltos cometidos por motociclistas disfarçados. “Vamos poder diminuir o número de ocorrências de assaltos e outros crimes que envolvem motos, muitos com pessoas que utilizam uma camisa de mototaxista”, explicou.

Lei prevê pena

De acordo com a Lei do Código Penal nº 2848/40, Artigo nº 311, “adulterar ou remarcar número de placa e chassi ou qualquer sinal identificador de veículo, de seu componente ou equipamento é crime com pena de três a seis anos de reclusão”. 

Publicidade
Publicidade