Publicidade
Cotidiano
Justiça

Flávio Pascarelli é eleito novo presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas

Pascarelli recebeu 12 votos contra sete dados à concorrente ao cargo, desembargadora Socorro Guedes. Ao todo, 19 desembargadores estão aptos a votar 03/05/2016 às 10:41 - Atualizado em 03/05/2016 às 12:09
Janaína Andrade* Manaus

O desembargador Flávio Humberto Pascarelli Lopes foi eleito na manhã desta terça-feira (3) o novo presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) para os próximos dois anos - ficando à frente do órgão até julho de 2018. A eleição aconteceu em sessão do Tribunal Pleno no Plenário Desembargador Ataliba David Antônio, localizado no térreo do edifício Arnoldo Péres, no Aleixo, Zona Centro-Sul de Manaus.

A eleição serviu também para definir cargos de vice-presidente, que elegeu o desembargador Jorge Lins com 12 votos, e corregedor-geral, que elegeu o desembargador Aristóteles Thury com 13 votos.

Pascarelli recebeu 12 votos dos 19 desembargadores da Corte aptos a votar, contra sete votos dados à sua única concorrente ao cargo, desembargadora Maria do Perpétuo Socorro Guedes Moura. Apenas os 19 desembargadores votaram, sendo que juízes e servidores do TJ ficaram de fora da eleição.

O cargo de vice-presidente teve três inscritos: os desembargadores Sabino Marques, Wellington de Araújo e Jorge Lins. Concorreram para a Corregedoria Aristitóteles Thury e Sabino Marques. 

"Recebo isso com muita honra e com a consciência da responsabilidade. Vamos agora fazer a transição para ter condições de dizer quais serão as prioridades. Estamos assumindo a presidência do TJ-AM em um período de renúncia fiscal, então temos que usar de muita imaginação e também trabalhar. Trabalhar muito para reverter esse quadro", disse o desembargador após o resultado.

Futuro desafio

O principal desafio do novo presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas será administrar a crise econômica do órgão, com corte de “gorduras” como o auxílio moradia pago a magistrados, a Parcela Autônoma de Equivalência (PAE) e os carros oficiais de desembargadores.

*Colaborou Vinicius Leal

Publicidade
Publicidade