Publicidade
Cotidiano
PLANEJAMENTO

Foco no trabalho para atingir estabilidade financeira leva casais a não desejarem filhos

Especialista afirma que padrão de comportamento humano tem mudado e filhos não são mais meta. Ganhar dinheiro e viajar estão entre as prioridades dos casais 29/04/2018 às 12:16
Show filhos
Enquanto o bebê não é planejado, eles aproveitam para viajar ao redor do mundo. Foto: Acervo Pessoal
Danilo Alves Manaus (AM)

Priorizar o trabalho para alcançar a estabilidade financeira foi o motivo que levou Sâmia Jury Murayama, 33, e Tarcísio Ramos ,36, a escolherem não ter filhos por enquanto. Esse comportamento se repete em 79% dos casais brasileiros que afirmaram, em pesquisa do Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope), não pensar em ter filhos nos próximos dois anos.

Ela é fisioterapeuta e ele advogado. O casal se conheceu em 2005, ambos ainda na faculdade, e tinham objetivos parecidos: ganhar dinheiro com o trabalho e viajar o mundo. Foi então que as duas ideias se transformaram em uma só e os dois começaram um relacionamento que completa 13 anos em junho. A esposa explicou que, atualmente, o pensamento dos casais mudou. Nos últimos cinco anos, a mudança foi mais perceptiva.

“Hoje o mundo mudou. As pessoas estão mais focadas em conseguir se estabelecer financeiramente para satisfazer os desejos pessoais como comprar uma casa ou um carro, inclusive ajudar a família”, disse “Eu e meu marido sempre batalhamos pelo que temos hoje. Nos conhecemos na faculdade e eu cheguei a viajar para São Paulo por um ano para tentar a vida, mas depois seguimos firme na vida de casado, pois começamos a morar juntos”, completou.

Atualmente Tarcísio é sócio de um escritório de advocacia e Sâmia trabalha em uma clínica de fisioterapia. Ambos vivem bem com o dinheiro que ganham e até fizeram viagens ao exterior durante os últimos anos. Em janeiro, eles visitaram a Oceania durante um mês e conheceram países como a Austrália e Nova Zelândia. Sâmia contou, ainda, que não tem vontade de ser mãe até hoje, pois acredita que já se acostumou com dia a dia “a dois”.


A fisioterapeuta Sâmia Murayama e o advogado Tarcísio Ramos têm objetivos parecidos, inclusive quanto a filhos. Foto: Acervo Pessoal

“Eu vejo que muitas pessoas pensam igual a nós. Existem várias questões, além do financeiro que levam a homens e mulheres a desistirem de serem pais. Um deles é a violência. Muitos têm medo. Esse não é o meu caso, mas também me faz refletir”, disse.

Transformação

Conforme o professor e mestre em geografia urbana Marcos Castro, chefe do departamento do curso de Geografia da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), o padrão de comportamento humano começou a se transformar após as conquistas das mulheres no mercado de trabalho. Com isso, somado ao progresso econômico, social e tecnológico, a população começou ter o que ele afirmou ser uma “nova visão de mundo”.

“Os gêneros que iniciam um relacionamento pensam da mesma forma, pelo menos na maioria das vezes. O casal cria metas para ambos e, antes um desses objetivos era ter um filho, mas o conceito de família começou a mudar de uns tempos pra cá, por isso esses objetivos também mudaram. Hoje o casal quer viajar, comprar uma casa própria, ou até trocar de veículo, enfim, outras realizações”, analisou.

Marcos Castro também explicou que alguns casais não têm filhos devido aos problemas da sociedade moderna, como falta de segurança, educação e saúde pública de qualidade no Brasil. “Não podemos negar que no país em que vivemos, além de tudo ser cobrado duas vezes por conta dos impostos, ainda há problemas com a falta de segurança pública. Muitos vivem com medo de ter um filho e deixá-lo viver nessas condições”, contou.

Publicidade
Publicidade