Sábado, 24 de Agosto de 2019
Notícias

Foragidos do sistema carcerário no Amazonas são capturados por acaso

Em 2012, foram registradas 158 fugas no Amazonas. Destas, 56 resultaram em capturas, segundo dados da Secretaria de Justiça. Os fugitivos acabam voltando para o sistema carcerário na maioria das vezes por conta da reincidência, do que pelo processo de captura.  



1.jpg Delegado Emerson Negreiros: A investigação começa nos presídios.São ações de inteligência. Trabalhamos com tecnologia específica para identificar foragidos
17/02/2013 às 16:54

Somente no segundo semestre de 2012, 37 detentos fugiram do sistema carcerário de Manaus. Treze estavam sob a custódia da justiça, no Centro de Detenção Provisória (CDP), 11 do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), 11 da Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa. Nos primeiros dias de janeiro de 2013, mais cinco detentos da Vidal Pessoa ganharem as ruas, saindo pelo teto do parlatório (espaço para atendimento dos advogados). E muitos continuam à solta, sem que haja uma estratégia da Segurança Pública para capturá-los.

Por conta disso os trabalhos de investigação para localizar e prender os foragidos dependem, diretamente, das prisões feitas em decorrências de novos crimes. Os fugitivos acabam voltando para o sistema carcerário na maioria das vezes por conta da reincidência, do que pelo processo de captura. 

Foi o que aconteceu durante as investigações para prender uma quadrilha especializada em roubos a residências e a estabelecimentos comerciais, chefiada por vários foragidos da justiça. Alcimar Pinto da Silva, 35, conhecido como Berg e Herisronny Rocha de Holanda, 22, o Ronny, foram os primeiros integrantes da quadrilha a serem capturados e mortos, em tiroteio, após assaltarem casas e comércios da Zona Leste, em janeiro. Marcelo Brito Sales, o “Marcelo bate-estaca”, outro foragido do mesmo bando foi capturado na última quinta-feira, como um dos chefes da quadrilha de assaltantes armados. “Isso acontece muito. Quando eles são pegos por cometerem novos crimes, constatamos que são foragidos. Nós da DERFD (Delegacia Especializada em Roubos, Frutos e Deufradações) já conseguimos capturar uma quadrilha inteira, no ano passado, composta por foragidos. Ao fugirem, eles se infiltram nas quadrilhas e acabam tomando o comando. Na maioria das vezes eles não são recapturados por serem foragidos, mas porque cometem novos delitos”, admitiu o delegado titular da DERFD, Orlando Amaral.

(A íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa)

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.