Domingo, 05 de Julho de 2020
Notícias

Fundação Cecon ganha prêmio de melhor estudo em simpósio regional de cuidados paliativos

O trabalho, intitulado 'Técnica de Hipodermóclise in Bolus nos pacientes com câncer avançado', foi um dos três premiados como os melhores apresentados no evento, de um total de 112



1.jpg FCecon ganha destaque em II Simpósio Norte-Nordeste de Cuidados Paliativos da Ancp
01/07/2015 às 16:27

Entre os dias 25 e 27 de junho, em Fortaleza-CE, a Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), vinculada à Secretaria de Estado de Saúde (Susam), ganhou destaque, durante o II Simpósio Norte-Nordeste de Cuidados Paliativos da Ancp (Associação Nacional de Cuidados Paliativos).

O trabalho, intitulado 'Técnica de Hipodermóclise in Bolus nos pacientes com câncer avançado', desenvolvido por uma equipe de profissionais da saúde do Serviço de Terapia da Dor e Cuidados Paliativos (Stdcp) da instituição, foi um dos três premiados como os melhores apresentados no evento, em um universo de 112.



A técnica consiste manutenção adequada de níveis de hidratação e nutrição por vias alternativas para o suporte clínico de pacientes oncológicos.

Trata-se de uma técnica de enfermagem, desenvolvida através da hidratação subcutânea – introdução de soro abaixo da pele - de pacientes com doença em estágio avançado, resultando na melhoria da qualidade de vida de quem está em tratamento, principalmente domiciliar.

De acordo com a gerente do Stdcp FCecon, anestesiologista Mirlane Guimarães de Melo, antes do desenvolvimento do trabalho e implantação da técnica, a hidratação era feita em 24 horas.

Com o novo método, o tempo da infusão é reduzido para cerca de 30 minutos, tempo em que a equipe do Serviço está nas residências dos pacientes para visitação e avaliação.

Ela explica que, alguns fatores são levados em consideração na hora de optar pela hidratação. Entre eles, a performance que indica a capacidade funcional, a extensão da doença, o nível de consciência de quem está em tratamento e até o grau de mobilidade – se o paciente está acamado ou se ele tem condições de se movimentar.

“A técnica também pode ser uma alternativa para a administração de antibióticos, sedativos, entre outros medicamentos essenciais ao tratamento. É um estudo inicial que considera a condição do paciente antes e depois da utilização da técnica”, destacou.

Desenvolveram o trabalho os enfermeiros Vânia Maria Cavalcante Araújo, Ivan da Silva Mendonça, Alcione Fogaça Araújo, Maria de Nazaré Corrêa Azevedo e as Médicas Mirlane Cardoso e Mônica Torres Muniz.

Na Fundação Cecon, a hipodermóclise foi implementada em 2012, período em que identificou-se a dificuldade na adesão pelos cuidadores de pacientes em visita domiciliar, pois se sentiam inseguros pela falta de um treinamento formal.

Contudo, em 2013, alguns pacientes foram submetidos à técnica da hipodermóclise in bolus - administração de uma medicação, com objetivo de aumentar rapidamente a sua concentração no sangue para um nível eficaz.

A amostra foi composta por 21 pacientes (13 homens e 8 mulheres), sendo 2 do ambulatório da dor e 19 da visita domiciliar. Todos apresentaram bons resultado.

O próximo passo agora é analisar se o procedimento se enquadra no perfil dos pacientes atendidos no Serviço de Urgência e Emergência da Instituição, parte deles com quadro de desidratação ocasionado pela dificuldade em ingerir alimentos.

*Com informações da assessoria de imprensa


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.