Publicidade
Cotidiano
Notícias

Fundação de Vigilância em Saúde realiza oficina de combate à malária no Amazonas

De acordo com o secretário de Saúde, Pedro Elias de Souza, o evento tem a finalidade de discutir avanços relacionados às ações desenvolvidas pelos municípios para o controle da doença 26/11/2015 às 18:34
Show 1
Junto com a capital, alguns municípios são considerados prioritários, por concentrarem 80% dos casos da doença registrados em todo o Estado
acritica.com Manaus (AM)

A Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM) informou que no período de janeiro a outubro de 2014, o Amazonas registrou 59.023 casos de malária, contra 63.746 notificados no mesmo período deste ano, o que representa um aumento de 7% e por isso, começou a promover a partir desta quarta-feira (25), a Oficina de Avaliação Anual do Programa Estadual de Controle da Malária no Amazonas.

De acordo com o secretário estadual de Saúde, Pedro Elias de Souza, o evento tem a finalidade de discutir os avanços e desafios relacionados às ações desenvolvidas pelos municípios para o controle da doença no Estado. A oficina acontecerá no auditório do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), localizado na avenida Pedro Teixeira, nº 2.354, Dom Pedro.

O diretor presidente da FVS, Bernardino Albuquerque, explica que a oficina terá três dias de duração e contará com a presença de coordenadores de endemias e assessores técnicos de Manaus e dos municípios de Tapauá, Tabatinga, São Paulo de Olivença, São Gabriel da Cachoeira, Santo Antônio do Içá, Lábrea, Ipixuna, Humaitá, Eirunepé, Careiro, Barcelos e Atalaia do Norte. Junto com a capital, esses municípios são considerados prioritários, por concentrarem 80% dos casos da doença registrados em todo o Estado.

“A oficina é o espaço para identificar os avanços e os entraves vivenciados por estes municípios para alcançar as metas de redução estabelecidas pelo Programa Nacional de Controle da Malária (PNC) do Ministério da Saúde”, destaca o diretor da FVS.

A oficina inclui, ainda, a pactuação de medidas para a formatação do plano de controle da malária para o próximo ano.

“As ações de campo para o controle da malária são executadas pelos municípios e é importante que as prefeituras e suas respectivas secretarias de saúde estejam empenhadas no cumprimento das metas de redução dos casos da doença”, frisou Bernardino.

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade