Segunda-feira, 18 de Novembro de 2019
Notícias

Futuro prefeito de Coari quer quitar dívida do município com sua própria empresa

Empresário dono de posto de combustível na cidade que vai governar cobra contrato de R$ 7,9 milhões do fornecimento de gasolina



1.jpg Empresário Raimundo Magalhães fornecia combustível à gestão de Adail Pinheiro
19/12/2014 às 20:27

Proprietário do Auto Posto Magalhães, o empresário  Raimundo Nonato de Araújo Magalhães, que pode assumir o comandado de Coari em fevereiro, cobra na Justiça uma dívida de oriunda de um contrato de R$ 7,9 milhões do fornecimento de combustíveis à gestão do prefeito cassado Adail Pinheiro (PRP).

Em processo movido na 1ª Vara de Coari, Magalhães afirmou que cumpriu com as obrigações contratuais em dia fornecendo derivados de petróleo para a prefeitura. E, sem nenhum motivo plausível, o município deixou de quitar a dívida. Como obteve decisão desfavorável, o empresário apelou ao Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM).



No TJ-AM, o caso foi julgado pela Primeira Câmara Cível e teve como relator o desembargador Lafayette Carneiro Vieira Júnior. Em fevereiro deste ano o colegiado negou o pedido do empresário e segundo colocado nas eleições de 2012. Ele recorreu da decisão. E no dia 5 deste mês, segundo nota do andamento processual, o acórdão (decisão coletiva) foi assinado, confirmado a rejeição do pedido.

Mandato

Na quarta-feira, o TSE, depois de dois anos de posse do processo, julgou o recurso que pedia a cassação do registro de Adail Pinheiro e invalidou a candidatura dele e, por consequência, a do vice-prefeito, Igson Pinheiro (PMDB), que está no comando da prefeitura desde o dia 8 de fevereiro deste ano, quando o titular foi preso para não atrapalhar a investigações de crimes de pedofilia no município.

Como Adail não obteve mais de 50% dos votos válidos no pleito de 2012, o TSE não determinou que haja nova eleição.  O mais provável,  defendem os advogados de Magalhães, que também atuaram no processo, é que o segundo candidato mais votado assuma a cadeira de prefeito. Mas isso só será definido no início do ano que vem, quando a decisão da corte for publicada. A partir de sábado, a Justiça entra em recesso de fim de ano e só retoma as atividades no dia 6 de janeiro. 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.