Publicidade
Cotidiano
NOVOS CASOS

FVS investiga dois casos de meningite em garimpeiros em Humaitá, interior do AM

Homens trabalham em garimpos e estão internados em Porto Velho (RO). De janeiro a abril, 30 casos foram registrados no Estado. FVS informou que deve enviar medicamentos para a Secretaria de Saúde do município 15/07/2016 às 14:49
Show meningite
FVS informou que está enviando medicamentos com a finalidade de reforçar estoque (Foto: Vaner Casaes/Agecom)
acrítica.com* Manaus (AM)

A Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) está investigando dois casos notificados de meningite no município de Humaitá (a 590 quilômetros de Manaus). Os registros são de dois homens oriundos de garimpos. Segundo o órgão, medicamentos estão sendo envidados para Semsa com a finalidade de reforçar o estoque do município.

Segundo a FVS, os homens garimpeiros são de Humaitá e de Porto Velho (RO). Ambos estão internados no hospital da capital de Rondônia.

De acordo com o diretor-presidente da FVS, Bernardino Albuquerque, a Secretaria Municipal de Saúde de Humaitá, por meio da vigilância epidemiológica já realizou o serviço de profilaxia dos contactantes familiares.

“A equipe da Semsa de Humaitá está em deslocamento para o garimpo na zona rural do município, para verificar se há novos casos da doença e para fazer de forma preventiva a profilaxia para os garimpeiros que estiveram em contato com os pacientes”, diz.

A FVS ainda informou que está enviando medicamentos para Semsa, com a finalidade de reforçar o estoque do município.

Mais de 300 casos em dois anos

Segundo a FVS, o número de casos de meningite registrados no Amazonas desde 2014 até abril deste ano é 306. Somente neste ano, 30 casos foram registrados. Os casos mais comuns são de meningite meningococica. No Brasil, foram notificados mais de mil casos da doença em 2015. Mesmo com todas as opções de antibióticos para tratamento, a doença ainda causa morte em 10% dos casos.  Os casos mais comuns são de meningite meningocócica. No Brasil, foram notificados mais de mil casos da doença em 2015.

*Com informações da assessoria

Publicidade
Publicidade