Publicidade
Cotidiano
Cotidiano, Economia, Receita Federal, Sindireceita, Documentário, Cultura, Festival Folclórico de Parintins, Garantido, Caprichoso, Produtos Piratas, Parintins

Garantido e Caprichoso são temas de campanha antipirataria

Festival Folclórico de Parintins e a disputa entre os bumbás vermelho e azul foram escolhidos pela produção do documentário por ser uma festa reconhecida internacionalmente por sua originalidade e caráter único em todo o mundo 29/03/2013 às 14:40
Show 1
Documentário será lançado em abril, e depois será disponibilizado gratuitamente
acritica.com Manaus

Para celebrar a originalidade e a riqueza cultural do Festival Folclórico de Parintins – localizado a 325 quilômetros de Manaus -, que tem como grande atração a disputa entre os bois-bumbás Garantido e Caprichoso, a campanha “Viva a Originalidade. Pirata: tô fora!”, promovida pelo Sindicato Nacional dos Analistas-Tributários da Receita Federal do Brasil (Sindireceita), lança o documentário “Dois pra lá, Dois pra cá - 100 anos de história”, no próximo dia 6, no CineMais do Millenium Shopping, no bairro Chapada, Zona Centro-Sul de Manaus.

As histórias contadas no documentário revelam a magia desta manifestação cultural que estimula a rivalidade entre os “bois” e povoa o imaginário da população com causos, mitos e lendas que preservam vivas as raízes do folclore amazonense.

A origem do boi-bumbá em Parintins, a criação dos bois Caprichoso e Garantido, a rivalidade e a paixão do povo pelo seu boi são narradas pelos próprios parintinenses e brincantes que participam do Festival Folclórico de Parintins, que acontece na última semana de junho.

A produção é uma iniciativa do Sindireceita, que promove a campanha “Viva a Originalidade. Pirata: tô fora!” em parceria com o Conselho Nacional de Combate à Pirataria e Delitos contra Propriedade Intelectual (CNCP) do Ministério da Justiça, e tem por objetivo mostrar que ao valorizar as ideias, os produtos, a música, o artesanato e as manifestações culturais toda a sociedade ganha.

A presidenta do Sindireceita, Sílvia de Alencar, destaca que o documentário faz parte da nova estratégia da campanha e tem como público-alvo estudantes, artistas, representantes de movimentos sociais e autoridades.

“Nosso objetivo também é chamar a atenção da população para os riscos e prejuízos que a pirataria gera ao País. É preciso que todos percebam que ao valorizar a cultura, o folclore, a música, os artistas e o nosso artesanato estaremos também valorizando nossa cidade, nosso estado e nosso País. Valorizando a originalidade exercemos nossa cidadania e é esse o principal objetivo da campanha, conscientizar as pessoas sobre questões de cidadania", destaca.

Ela também acrescenta que o Festival Folclórico de Parintins e a disputa entre os bumbás Garantido e Caprichoso foram escolhidos para a produção do documentário por ser uma festa reconhecida internacionalmente por sua originalidade e caráter único em todo o mundo.

“Com esse documentário pretendemos contribuir para valorizar a produção nacional, a cultura e o folclore do povo brasileiro. Acreditamos que dessa forma também é possível educar e conscientizar a população, mostrando os prejuízos causados pela pirataria e contrabando”, ressalta.

Após o lançamento, o documentário “Dois pra lá, Dois pra cá - 100 anos de história” estará disponível para distribuição gratuita e poderá ser exibido em escolas, cineclubes e compartilhado pelas redes sociais. Sílvia de Alencar explica que a intenção é reforçar, especialmente nos jovens, a mensagem de valorização das ideias, produtos e atitudes originais.

“Esse é o maior esforço antipirataria que a sociedade pode executar. Mostramos que foi a valorização que permitiu que os Bois de Parintins se transformassem em uma das mais genuínas expressões culturais e artísticas brasileiras. A riqueza das toadas, o trabalho realizados pelos artistas da ilha e a participação de toda a comunidade que se envolve no Festival é uma prova inquestionável da importância da valorização de nossa cultura e, principalmente, da importância de se valorizar a originalidade brasileira”, enfatizou a presidente do Sindireceita.

Publicidade
Publicidade